Campanha de vacinação contra a gripe começa nesta quarta

Vinicius Cordeiro


A primeira fase da campanha nacional de vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira (10) e vai até o dia 19 deste mês. Neste primeiro momento, serão vacinadas as gestantes, mães de recém-nascidos até 45 dias e crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias.

A meta de Curitiba é vacinar 90% do público-alvo, ou seja, 481,5 mil das 535 mil pessoas nessas categorias. No ano passado, Curitiba acompanhou a média nacional e encerrou a campanha com 83% da meta.

A ação visa ampliar a vacinação entre grávidas e crianças, já que os índices dos anos anteriores ficaram abaixo do esperado.

“Este ano, a campanha começa uma semana mais cedo, o que mantém o tempo hábil para que as pessoas se imunizem antes da chegada dos dias mais frios, quando o vírus se propaga com maior intensidade”, declarou o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Alcides de Oliveira.

Na capital paranaense, a vacina estará disponível em 110 unidades de saúde.

Já a segunda etapa será iniciada no dia 22 de abril e vai até 31 de maio, sendo que o combate contra o vírus Influenza passa a ser para os públicos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde (veja abaixo).

Onde se vacinar em Curitiba

A vacinação ocorrerá de segunda à sexta-feira, no horário de atendimento das unidades de saúde. A vacinação é ofertada apenas nas unidades básicas e não será feita nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), locais destinados apenas ao atendimento de casos de urgência e emergência.

No dia 4 de maio haverá o “Dia D” da mobilização, um sábado em que alguns postos de saúde abrirão para ampliar o acesso aos usuários que desejam se vacinar.

Saiba quais são os públicos prioritários

A partir de 19 de abril, a vacinação se estende a todos públicos definidos como prioritários pelo Ministério da Saúde, que, além das gestantes, puérperas e crianças entre 6 meses e 6 anos incompletos, inclui:
– Pessoas maiores de 60 anos;
– Profissionais da saúde;
– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou outras condições clínicas especiais (exemplo: diabetes, doenças cardíacas e respiratórias, distúrbios que comprometem a imunidade, como o câncer, e outras);
– População indígena;
– Pessoas privadas de liberdade;
– Professores da rede pública e privada;
-Trabalhadores do sistema prisional;
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;

** com informações da prefeitura de Curitiba

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="609767" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]