Consórcio mineiro arremata Hospital Evangélico e faculdade por R$ 259 milhões

BandNews FM Curitiba

Após quase quatro anos de intervenção, o Hospital Evangélico de Curitiba e a Faculdade Evangélica foram leiloados na manhã desta sexta-feira (17). Foi declarado vencedor da concorrência o Consórcio R+, de Minas Gerais, formado pela Única Educacional Limitada e pela Âmbar Saúde, que adquiriu as instituições por R$ 259 milhões.

A concorrência foi presencial, na sede da Justiça do Trabalho de Curitiba, e representa o ponto final de todo o impasse envolvendo as instituições em relação à dívida acumulada de cerca de R$ 230 milhões. O valor mínimo para o arremate em lance único, segundo o edital, era de cerca de R$ 205 milhões, mas essa cifra foi superada já nos primeiros minutos do pregão.

O leiloeiro oficial, Hélcio Kronberg, explica o que acontece agora, depois que o R+ foi declarado vencedor.


O empresário Ruy Muniz, acionista do Consórcio R+, conversou com a imprensa logo após o fim do leilão. Ele garante que os funcionários terão o pagamento dos salários em dia, que não haverá demissões e que os nomes das instituições ficam mantidos.

Ele afirma ainda que o SUS, Sistema Único de Saúde, segue na prioridade dos atendimentos.

Não havia limite em relação à quantidade de participantes no leilão e apenas as pessoas diretamente ligados ao processo estavam impedidas de participar por razões óbvias. Mas, para que fossem habilitados, os interessados tiveram que apresentar uma série de certidões e declarações, além de garantir ao menos 60% dos leitos atuais destinados ao SUS, uma boa parcela dos postos de trabalho, os contratos vigentes e o depósito de uma caução de R$ 5 milhões.

Outra exigência é que os novos donos mantenham a Faculdade em Curitiba com a continuidade da oferta da graduação de Medicina e dos cursos de pós-graduação. Para o juiz Eduardo Milleo Baracat, da 9ª Vara do Trabalho de Curitiba, o grupo assume as instituições assim que depositar o valor do arremate integralmente ou, no caso de parcelamento, de uma entrada de 20% do total da compra, ou seja, R$ 51,8 milhões. O prazo para isso é de dois dias úteis.

O valor do arremate pode ser parcelado em até 60 meses e o consórcio vencedor pode ainda compensar créditos trabalhistas nas parcelas. Os dois imóveis e bens móveis foram leiloados em conjunto e o grupo não vai responde por nenhuma dívida anterior; apenas deve manter o foco de atividade do hospital.

O Evangélico atende entre 25 e 30 mil pacientes por mês, dos quais 95% voltado ao SUS. O hospital é referência em procedimentos de alta complexidade, como tratamento de queimados, cirurgias bariátricas e plásticas e transplantes de órgãos, além dos serviços emergenciais.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook