Polícia e Criminalística fazem perícia no prédio onde morreu advogada; suspeito segue preso

William Bittar - CBN Curitiba

A Polícia Civil e o Instituto de Criminalística realizaram uma perícia no local da morte da advogada Tatiane Spitzner, em um prédio no Centro de Guarapuava, na região central do estado. O suspeito de ter cometido o crime, Luis Felipe Manvailer, marido de Tatiane, está preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG).

Em depoimento, Manvailer afirmou que a esposa se jogou da sacada do apartamento, no quarto andar. Ele foi detido enquanto tentava fugir para o Paraguai, no mesmo dia da morte da advogada. Além disso, o suspeito também levou o corpo de Tatiane para dentro do apartamento onde moravam.

O trabalho da perícia durou cerca de duas horas e meia e foram feitos três testes, um deles com base no depoimento do marido da vítima.

A perícia é diferente de uma reconstituição, por este motivo, o suspeito não foi levado até o prédio. Além disso, imagens de câmeras de segurança podem ajudar a confrontar o que foi dito por Manvailer.


A Polícia Civil deve encerrar o inquérito policial nesta terça-feira (31), mas o prazo pode ser prorrogado.

O advogado da família de Tatiane, Gustavo Scandelari, afirmou que ainda não é possível tirar nenhuma conclusão, pois alguns laudos devem ser entregues nos próximos dias, mas ressaltou que é possível contestar muitas coisas que foram ditas por Manvailer em depoimento.

A Polícia Civil também já ouviu moradores do prédio onde o casal morava e pessoas próximas de Tatiane.

A CBN Curitiba procurou pelo advogado de defesa de Manvailer, que preferiu não gravar entrevista, mas frisou que é muito cedo para tomar algum posicionamento, pois a Polícia Civil ainda investiga o caso e são necessários os últimos laudos das investigações.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook