Suspeito de participar do ataque à Guarapuava é morto em confronto

O suspeito reagiu a abordagem, conforme a polícia, e foi baleado na troca de tiros; as equipes localizaram armas, munição e equipamentos em uma chácara.

Redação - 03 de maio de 2022, 08:05

Foto: Divulgação/PMPR
Foto: Divulgação/PMPR

Um homem suspeito de integrar a quadrilha que levou terror à Guarapuava, durante uma tentativa de assalto à uma transportadora de valores, mês passado, foi morto em confronto com a Polícia Militar (PMPR). O confronto ocorreu em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do estado, nesta segunda-feira (2).

Com base em informações do setor de inteligência da corporação, policiais do 1º Batalhão cumpriram mandados de busca e apreensão expedidos pelo poder judiciário.

 

Durante os trabalhos, as equipes localizaram um homem que teria participado do ataque em Guarapuava. O suspeito reagiu a abordagem e efetuou disparos de arma de fogo em direção aos militares, iniciando um confronto, onde acabou baleado, conforme o relato policial.

Uma ambulância foi acionada, mas o suspeito não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Dois homens que estavam na casa foram presos.

A polícia também localizou uma chácara no Distrito de Guaragi, onde foram encontradas diversas armas de fogo relacionadas ao suspeito, além de grande quantidade de munições, substâncias entorpecentes, rádios comunicadores e toucas "balaclavas".

As armas, drogas e objetos apreendidos foram encaminhados até a delegacia local. A Polícia Civil deve investigar o possível envolvimento do suspeito com a tentativa de assalto em Guarapuava.

NOVO CONFRONTO E SUSPEITOS PRESOS

Este foi o segundo confronto entre as forças de segurança do estado e suspeitos de participação ao ataque em Guarapuava, no dia 17 de abril. No dia 27 do mês passado, outro homem foi localizado durante o trabalho de buscas e morreu após trocar tiros com os policiais. Na mesma ação, três suspeitos de integrarem a quadrilha envolvida na tentativa de assalto foram presos.

Os três homens presos foram autuados em flagrante. Dois deles por tráfico de drogas e um por tráfico ilegal de armas. Um deles servia como um guardador de armas, munições e drogas para a quadrilha em Guarapuava.