Carcaça de Boeing da Presidência será exposta em Foz do Iguaçu

Narley Resende


Um Boeing modelo 737-200 da Força Aérea Brasileira que pertenceu à Presidência da República será exposto ao público em um museu na Fronteira, em Foz do Iguaçu, Oeste do Paraná. A carcaça da aeronave vai fazer parte do acervo do Museu Aeroespacial de Foz do Iguaçu.

A aeronave já transportou papa João Paulo II, em uma visita ao Brasil. Esse é um dos “Sucatinhas”, usados por ministros dos oito governos entre 1976 e 2010. O conhecido Sucatão (Boeing 707-320c) foi leiloado e destruído para venda do alumínio. São aviões parecidos.

O transporte da carcaça chamou atenção no Paraná neste sábado. Equipes da Guarda Municipal de Foz do Iguaçu fizeram a escolta dos dois caminhões que transportaram as partes da aeronave do Bairro Três lagos, por uma estrada rural, até chegar na BR-469. O avião veio de São Paulo. A viagem do Boeing que mede 30 metros de comprimento e 28 metros de largura, desde Guarulhos (SP) até a fronteira, durou 12 dias.

O Boeing deve ser montado na empresa Helisul, na Rodovia das Cataratas. A empresa vai deixar a aeronave em exposição, depois de restaurá-la.

Sucatão e sucatinhas

FAB Presidencial - FAB 2115 no GTEO Boeing 737-200 FAB VC 96 foram duas aeronaves Boeing 737 da Força Aérea Brasileira, utilizados para voos domésticos por ministros de estado e autoridades do governo brasileiro.

Ficaram conhecidos como Sucatinhas, diminutivo ao Sucatão, uma aeronave Boeing 707-320c FAB KC 137, de maior porte, utilizada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em vôos de longo alcance, que foi substituída pelo chamado Aerolula.

Os “Sucatinhas” foram adquiridos em 1976, com matrículas 2115 e 2116, para a substituição do antigo VC 92, o primeiro jato do Grupo de Transporte Especial (GTE) e que estava em operação desde 1968.

Previous ArticleNext Article