Cardiologista Mário Maranhão morre aos 84 anos em Curitiba

O médico estava internado no Hospital Marcelino Champagnat desde que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Johan Gaissler - 11 de julho de 2022, 14:25

(Foto: Reprodução/Facebook)
(Foto: Reprodução/Facebook)

Morreu na manhã desta segunda-feira (11) o médico cardiologista Mário Maranhão. Ele tinha 84 anos e estava internado no Hospital Marcelino Champagnat, em Curitiba, após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

O cardiologista estava em coma profundo na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) desde o AVC que teve há alguns dias. O dano foi considerado grave.

Mário Maranhão deixa a esposa, Carmen Lúcia, quatro filhos e três netos. O corpo dele é velado nesta segunda na Capela Vaticano e deve ser encaminhado para cremação em Almirante Tamandaré, na RMC (Região Metropolitana de Curitiba).

CARREIRA DE MÁRIO MARANHÃO

Mário Fernando de Camargo Maranhão nasceu em Curitiba. Foi aprovado na primeira tentativa no vestibular de medicina da UFPR (Universidade Federal do Paraná). 

Formou-se profissionalmente em São Paulo, no Hospital das Clínicas, e fez estágios no exterior, até ser professor universitário na área cardiológica. Também foi repórter no antigo jornal Diário do Paraná.

Mário Maranhão foi um dos fundadores e presidentes da Sociedade Paranaense de Cardiologia. Entre 2000 e 2002, foi presidente da Federação Mundial de Cardiologia.

Nas redes sociais, a Sociedade Paranaense de Cardiologia lamentou a morte de Mário Maranhão. "Um grande médico, uma liderança única, excelente pessoa, que deixa uma linda história. Nossos sentimentos para a família", diz parte do texto publicado no Facebook.

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL (AVC)

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), sofrido por Mário Maranhão, é o nome dado ao popular derrame cerebral. O cérebro deixa de receber sangue e prejudica o funcionamento o corpo humano.

Entre os sintomas do AVC, estão:

  • Dificuldade para andar
  • Dificuldade para falar
  • Dificuldade para compreender
  • Paralisia da face
  • Paralisia do braço
  • Paralisia da perna
  • Formigamento

O AVC se divide em AVC isquêmico e AVC hemorrágico. O isquêmico acontece em 85% dos casos e é causado pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria do cérebro.

Já o hemorrágico está mais ligado a quadros de hipertensão arterial. Ele é causado quando um vaso se rompe espontaneamente e há extravasamento de sangue para o interior do cérebro.