Caso Daniel: Justiça adia audiências porque defesa dos Brittes pede testemunho de repórter

Vinicius Cordeiro

caso daniel crisitana brittes habeas corpus


A juíza Luciani Regina Martins de Paula adiou os depoimentos dos réus acusados pelo assassinato do jogador Daniel Corrêa para os dias 4,5 e 6 de setembro. A decisão foi motivada pela inclusão da testemunha João Gimenez, repórter da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná, por parte do advogado Cláudio Dalledone Junior, da defesa da família Brittes.

A defesa de Edison, Cristiana e Allana, filha do casal, quer apurar o responsável por vazar fotos de Cristiana. Na visão de Dalledone, o jornalista teria ido a loja de assistência de celulares, na qual Cristiana deixou o celular para conserto após o crime. Ou seja, o jornalista teve acesso ao material antes da polícia. Foi assim que imagens acabaram sendo divulgadas pela emissora de televisão.

PARTES

Para o advogado Nilton Ribeiro, contratado pela família de Daniel, a determinação não pode originar novas estratégias por parte da defesa dos réus.

“Uma decisão correta. Dia 4, 5 e 6 vão voltar aos trabalhos. O processo está muito bem instruído. A materialidade e autoria estão bem delineadas. Não vejo como surgir uma nova estratégia ou algo nesse sentido. A jurisprudência diz que quando o processo é complexo, é justificável essa sagacidade no tempo”, declarou.

Apesar disso, Rodrigo Faucz, advogado de David Vollero e Ygor King, réus no processo, aproveitou para pedir liberdade provisória para ambos. Por enquanto, a dupla é a única que entrou com o pedido.

QUEM SÃO OS RÉUS

Respondem pelo crime o comerciante Edison Brittes, assassino confesso de Daniel; Cristiana Brittes, esposa de Edison;  Allana Brittes, filha do casal; Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Vollero Silva e Evellyn Brisola Perusso.

Dos suspeitos, apenas Allana Brittes e Evellyn Brisola Perusso respondem o processo em liberdade. Os outros seis foram detidos poucos dias após o crime:

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • David Willian Vollero da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de adolescente e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de adolescente e falso testemunho.

Previous ArticleNext Article