Caso Tatiane Spitzner: Manvailer começa a ser julgado na quarta

Redação

Tatiane Spitzner: julgamento de manvailer

Deve começar nesta quarta-feira (10) o julgamento de Luis Felipe Manvailer, acusado de matar a advogada Tatiane Spitzner. Ele será julgado por feminicídio e fraude processual. O júri popular acontece no Fórum de Guarapuava, cidade onde o crime ocorreu. O júri vem após quase três anos do crime e dois adiamentos.

O advogado Gustavo Scandelari, do escritório Dotti e Advogados, assistente da acusação, diz que a família está tranquila e confiante no veredicto condenatório. “Existem diversas provas, como o laudo do IML, que atesta que a morte se deu por asfixia, dentro do apartamento. Além dos vídeos que mostram as agressões no carro e no elevador e das atitudes do réu após a morte de Tatiane. Ele limpou os vestígios e fugiu de carro”, lembrou.

Ele refuta a possibilidade de que Tatiane Spitzner teria depressão e teria cometido suicídio. “Um médico avaliou Tatiane poucos dias antes de ser brutalmente assassinada, atestando que estava plenamente saudável, sem nenhum sinal clínico de depressão. O réu preso nunca se manifestou sobre isso. Será certamente condenado”, afirma o advogado.

O Parana Portal entrou em contato com a defesa de Luiz Felipe Manvailer para saber de sua expectativa em relação ao julgamento. Os advogados Claudio Dalledone e Adriano Bretas disseram  que “a defesa técnica aguarda um julgamento sóbrio e apoiado na prova do processo”.

Tatiane Spitzner foi encontrada morta junto ao prédio em que morava, em julho de 2018. Câmeras do edifício onde vivia o casal mostram agressões de Manvailer no elevador e sua fuga do local após mudar de roupa. Horas após o ocorrido, Manvailer foi preso a 340 quilômetros de Guarapuava, depois de sofrer um acidente de carro. O réu também não se comunicou com a família da esposa, que vivia a poucas quadras de seu endereço.

 

Leia também: Nota Paraná: morador de Ponta Grossa, nos Campos Gerais, ganha prêmio de R$ 1 milhão

Previous ArticleNext Article