Casos suspeitos de coronavírus aumentam 24% em apenas um dia no Paraná

O informe epidemiológico atualizado nesta quarta-feira (17) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) revela um avanço d..

Angelo Sfair - 17 de junho de 2020, 18:10

Pedro Ribas/SMCS
Pedro Ribas/SMCS

O informe epidemiológico atualizado nesta quarta-feira (17) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) revela um avanço de 24% nos casos suspeitos de coronavírus no Paraná. Entre ontem e hoje, o número de pacientes em investigação passou de 3.462 para 4.293.

Desta forma, foram incluídos 831 casos suspeitos em apenas 24 horas.

O estado do Paraná tem aumentado o número de exames para identificar pacientes com Covid-19. No entanto, o número de testes processados pelo Lacen (Laboratório Central do Estado) e unidades credenciadas ainda está abaixo do limite da capacidade.

Nesta quarta-feira (17), 2.314 resultados foram processados. A capacidade atual do sistema, de acordo com a Sesa, é de 5.600 exames do tipo RT-PCR. Esse é considerado o teste mais eficiente, capaz de identificar pacientes assintomáticos.

Em raro pronunciamento público sobre a situação da pandemia do coronavírus no Paraná, o governador Ratinho Junior comentou sobre o aumento do número de exames. Ele reforçou a necessidade de a população atender às orientações de distanciamento social.

“Nós triplicamos o número de testes no estado do Paraná, estamos reforçando o sistema público de saúde, mas o que vai vencer o coronavírus é a sua consciência de entender que neste período nós temos que ter uma restrição da maneira que a gente convive um com outro no dia-a-dia”, afirmou, em vídeo divulgado hoje (17).

CASOS AUMENTAM E GOVERNADOR PEDE PACTO DE CONSCIÊNCIA

Assim como todos os estados do Brasil, o Paraná não aplicou testes em massa para definir as estratégias de combate à pandemia do coronavírus. A dificuldade de encontrar exames e reagentes no mercado é um dos fatores, além do alto custo dos materiais.

Com o aumento dos casos suspeitos e confirmados, Ratinho Junior pede que a população adira a um “pacto de consciência”. Ele ponderou que não é possível manter a normalidade da rotina porque os tempos são anormais.

“Por isso, peço o apoio de toda a população do Paraná, num pacto de consciência sobre a importância de vencermos o coronavírus. Um ajudando o outro, para que a gente possa ter o menor prejuízo de vidas, que é o mais importante. E, acima de tudo, que a gente possa rapidamente voltar à normalidade”.