Cerca de 60% da população de rua de Curitiba está no centro, diz FAS

Andreza Rossini e Assessoria


Curitiba tem, atualmente, 1572 pessoas em situação de rua de acordo com a Prefeitura. Estima-se que 60% dos moradores de rua se concentram na região central, principalmente nas praças e entorno do Mercado Municipal.

Os funcionários da Fundação de Ação Social (FAS) fazem abordagens 24 horas por dia, com objetivo de convencer as pessoas a se vincular a uma unidade, para atendimento com equipe técnica, acolhimento, alimentação, higiene e encaminhamento para outros serviços, como saúde, emissão de documentos, retorno familiar, cursos de qualificação profissional e emprego.

Em janeiro deste ano, a FAS implantou equipes fixas que percorrem as principais ruas e praças da região central para as abordagens sociais. As equipes circulam diariamente nas áreas das avenidas 7 de Setembro e Batel, da Rodoferroviária, do Mercado Municipal e das praças Ouvidor Pardinho, Oswaldo Cruz, Eufrásio Correia e da Espanha.

Na região do Setor Histórico o roteiro fixo segue uma programação, com locais e dias pré-determinados . Cada equipe é composta por dois educadores sociais e um motorista.

À noite, equipes do Centro de Abordagem 24 Horas voltam às principais praças da região para fazer busca ativa às pessoas que estão dormindo nas ruas, para oferecer acolhimento nas casas de passagem municipais. Quem aceita abrigo, é transportado nas Kombis da FAS até as unidades, onde recebem roupas limpas, fazem a higiene, dormem em camas quentes e recebem alimentação, no jantar e no café da manhã.

Nas noites em que as temperaturas atingem 9ºC esse trabalho é intensificado em toda a cidade, mas a região central volta a receber atenção especial. Durante as ações intensificadas, que são realizadas das 18 às 23 horas, a região central recebe reforço de mais duas equipes que percorrem as ruas em busca de pessoas sem ter onde dormir.

Além de todo esse planejamento, equipes do Centro de Abordagem fazem atendimento diário, 24 horas por dia, a partir das solicitações feitas pela população à Central 156.

Previous ArticleNext Article