Chega a 12 o número de vítimas de estupro do policial acusado de matar Renata

Andreza Rossini

Doze mulheres já procuraram a Delegacia da Mulher para relatar casos de estupros cometidos pelo policial militar Peterson Mota Cordeiro, de 30 anos. Ele é acusado de matar Renata Larissa, que foi estuprada e encontrada morta próximo a BR-116, em São José dos Pinhais, na última quarta-feira (1).

> MP denuncia marido de Tatiane Spitzner por feminicídio, cárcere privado e fraude processual

De acordo com a delegacia da mulher, Peterson apresenta ser uma pessoa violenta.  Um dos boletins de ocorrência descreve que, enquanto abusava de uma das vítimas, ele pedia para a mesma dizer, por várias vezes, que ‘estava sendo estuprada’. “Pela conduta que ele apresentou, ele é uma pessoa muito fria. Ele nega o crime e admite que houve a relação, mas em uma situação de dominação dele sobre as mulheres”, contou.

Cordeiro teve equipamentos eletrônicos apreendidos pela polícia. As equipes encontraram diversos vídeos e fotos das vítimas de estupro. “A partir da análise desses dados a gente verificou que existem várias outras vítimas, porque ele registrava filmando e fotografando. Ele obrigava as vítimas a falarem o nome e a idade”, descreveu.


O policial atraia as vítimas por meio das redes sociais. Segundo a delegada, a abordagem era amistosa e fazia com que a mulher confiasse no suspeito. “A vítima ia por vontade própria ao encontro dele, pela forma como ele abordava pelas redes sociais, ele procurava ganhar a confiança da vítima, se mostrando ser uma boa pessoa, de boa índole. Ia buscar as vítimas em casa”, disse.

De acordo com a polícia civil, ainda não é possível investigar o número de vítimas. Mulheres que queiram fazer novas denúncias contra o suspeito devem procurar a Delegacia da Mulher, responsável pelo caso.

Desaparecimento

Renata Larissa desapareceu no dia 27 de maio, após sair de casa dizendo que ia à farmácia, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. No último dia 20 de julho, o policial militar foi preso suspeito de estupro de outras mulheres. Depois da polícia encontrar fotos e vídeos nos equipamentos eletrônicos dele e cruzar as informações do desaparecimento da jovem, foi que se chegou a conclusão de que ele seria o responsável pelo sumiço de Larissa.

O corpo de Renata foi encontrado na última quarta-feira (01), às margens da BR-376, em São José dos Pinhais. O corpo estava em avançado estado de decomposição e mesmo assim, foi identificado rapidamente no Instituto Médico Legal.

No mesmo dia, o policial foi levado para prestar depoimento na Delegacia da Mulher, mas preferiu ficar em silêncio. O homem já foi denunciado por outros estupros e vai responder pelo crime que envolve Renata Larissa. Ele segue preso, desde o último dia 20.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook