CIC lidera abertura de empresas no 1º semestre em Curitiba

Maior bairro de Curitiba, a CIC reúne cerca de 20 mil empresas, que geram cerca de 80 mil empregos diretos e indiretos.

Redação - 26 de julho de 2022, 07:34

Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS

A CIC (Cidade Industrial de Curitiba) liderou a abertura de empresas ao longo do primeiro semestre de 2022 na Capital. De acordo com a prefeitura, 2.761 empresários abriram novos negócios no bairro mais populoso da cidade nos primeiros seis meses do ano.

Entre as novas empresas, são 2.209 prestadores de serviços e 552 comércios, segundo levantamento da Secretaria de Planejamento, Finanças e Orçamento.

O bairro ficou à frente do Centro, com 2.130 novas empresas, e do Sítio Cercado, com 1.820 novos alvarás. Sozinha, a CIC respondeu por 8% das aberturas das empresas na cidade, de 35.123 no período, ainda de acordo com o estudo municipal.

Os dados apontam que a CIC, que desde a década de 70 concentra o pólo industrial do município, vive um novo boom de desenvolvimento no pós-pandemia, com melhoria de infraestrutura, crescimento acelerado de novos negócios e abertura de empresas.

“A nossa CIC, que completará 50 anos no ano que vem, é um exemplo do processo de aceleração da economia do município. Temos melhorado a infraestrutura em todas áreas, de saúde à educação, de pavimentação à segurança. Isso, em conjunto com o pólo industrial consolidado, a localização e o grande fluxo de pessoas, tem atraído mais investimentos, emprego e renda” avalia o prefeito Rafael Greca.

Somente entre projetos industriais já anunciados, são cerca de R$ 2 bilhões em novos investimentos nos próximos três anos. Comércio e serviços de pequeno e grande porte e empreendimentos imobiliários também vêm em ritmo acelerado. 

Investimentos são retomados pelas empresas

A Volvo, que produz caminhões e ônibus na sua fábrica da CIC, anunciou investimentos de R$ 1,5 bilhão em novos projetos de pesquisa e desenvolvimento entre 2022 e 2025. No fim de junho, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou o investimento de R$ 200 milhões para os próximos dois anos em uma fábrica de vacinas na CIC. A alemã Horsch, fabricante de máquinas agrícolas, pretende implantar uma unidade no bairro nos próximos dois anos, com recursos de R$ 200 milhões.

Com 43 quilômetros quadrados de extensão, a CIC reúne cerca de 20 mil empresas, que geram cerca de 80 mil empregos diretos e indiretos, segundo dados da Associação das Empresas da Cidade Industrial de Curitiba (Aecic).

“As empresas sofreram muito com a pandemia. Agora começam a retomar investimentos. Nas grandes indústrias, eles se concentram principalmente no aumento dos índices de nacionalização dos seus produtos, já que o dólar encareceu as importações. Essa estratégia ajuda a movimentar a cadeia de fornecimento local, criando um efeito multiplicador” diz João Barreto, diretor administrativo da Aecic. 

“A Prefeitura tem feito sua parte, não apenas em melhorias de infraestrutura, mas também em fomentar um ecossistema de startups de tecnologia, por meio da Agência Curitiba, que podem ser fornecedoras das grandes empresas instaladas aqui”, acrescenta Barreto.

Os investimentos se espalham por vários segmentos e não se restringem às indústrias, segundo Raphael Keiji Assahida, administrador da regional CIC. “São de pequenas a grandes empresas, do varejo às prestadoras de serviços e aos empreendimentos imobiliários", lembra, ao citar, por exemplo, o novo espaço residencial que será construído pela MRV no terreno do antigo hotel Mabu, em frente à sede da regional.