Cidades Destaque 1
Compartilhar

Quatro pessoas são presas especializadas em roubos de caminhões com atuação internacional

Quatro pessoas, entre elas uma mulher, foram presas suspeitas de pertencer uma quadrilha de roubo de caminhões. Outras d..

Lorena Pelanda - 26 de setembro de 2018, 11:09

(Divulgação: Polícia Civil/PR)
(Divulgação: Polícia Civil/PR)

Quatro pessoas, entre elas uma mulher, foram presas suspeitas de pertencer uma quadrilha de roubo de caminhões. Outras duas pessoas ainda não foram localizadas. O grupo foi preso pela delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, em parceria com a Polícia Civil de Corumbá, no Mato Grosso do Sul e com a polícia da Bolívia.

ANÚNCIO

De acordo com as investigações, os integrantes atuavam internacionalmente.

Um caminhão, avaliado em cerca de R$ 150 mil foi recuperado. O proprietário não tinha seguro.

O delegado-operacional da DFRV, Edgar Dias Santana, explica que a quadrilha era bem articulada. Para atrair os caminhoneiros o grupo oferecia fretes em valores maiores do que os praticados no mercado. "Eles se passavam por uma transportadora séria e meio que direcionavam a oferta para os caminhoneiros proprietários de veículos mais novos", diz.

ANÚNCIO

(Divulgação: Polícia Civil/PR)

Quando a vítima aceitava o suposto trabalho – com a promessa de receber mais pelo serviço – o grupo marcava um local de encontro que sempre era uma rua comum e tranquila de algum bairro, onde eles já tinham se certificado de que não existiam câmeras. "Quando o caminhoneiro chegava nesse ponto de encontro, ele era recebido por dois homens que diziam ser funcionários da transportadora e que iriam levar essa vítima até o local do carregamento", conta. "Eles então entravam no caminhão, rendiam o caminhoneiro que era transferido para um carro e levado até um cativeiro", acrescenta.

Em posse do caminhão e dos documentos do veículo, um integrante da quadrilha seguia para a Bolívia e o caminhoneiro era mantido como refém até que o caminhão entrasse no País. "Assim que o veículo fosse entregue lá, o caminhoneiro era liberado aqui. Em um dos casos, a vítima foi rendida aqui em Curitiba no dia 13 de setembro e liberado no dia 15", diz. "A Polícia boliviana está rastreando este veículo. Eles investigam uma possível facilitação para a entrada no país".

O caminhão desta vítima está sendo rastreado em solo boliviano.

Recuperado

O segundo caminhão foi recuperado na terça-feira (25), em São José dos Pinhais, no momento do roubo. "Nossa equipe já vinha investigando o grupo desde o registro do primeiro caso e recebemos informação de que um caso semelhante ocorreria nesta manhã. Nós nos deslocamos até o endereço e flagramos os dois homens rendendo o motorista".

Os homens foram presos em flagrante. Um deles portava um revólver de calibre 32. Na sequência, as outras três pessoas que prestavam apoio à ação e estavam em um Gol nas proximidades também foram detidas. O mesmo Gol também foi usado no primeiro roubo.

Cativeiros

O delegado explicou que o grupo usava locais diferentes para render as vítimas e também para montar os cativeiros. "No primeiro caso, a vítima foi mantida em um a casa no Osternack. Já neste segundo caso, o cativeiro havia sido montado em uma casa em São José dos Pinhais", explana.

As investigações apontaram que as residências usadas pertenciam a familiares de dois integrantes do grupo criminoso.

Destino

As investigações preliminares apontaram ainda que os crimes de roubos dos caminhões podem estar diretamente ligados ao tráfico internacional de drogas. "Nós vamos, claro, aprofundar as investigações, mas tudo leva a crer que os veículos seriam trocados por drogas na Bolívia", explica. "Nosso trabalho segue em parceria com as polícias do Mato Grosso do Sul e da Bolívia".