Apenas 22% dos resíduos recolhidos em Curitiba são recicláveis

Lorena Pelanda


Quase duas toneladas de materiais recicláveis são recolhidas todos os meses em Curitiba. Isso representa apenas 22% do lixo produzido na capital paranaense. Apesar disso, a cidade está muito à frente de outras regiões do país e é referência ambiental quando se fala em separar o que é lixo orgânico e o que pode ser reaproveitado.

Todo material recolhido nos bairros da cidade é encaminhado para quarenta associações de catadores e cooperativas.

São beneficiados 1.100 catadores. Eles participam do programa EcoCidadão, da Prefeitura de Curitiba. De acordo com a diretora do Departamento de Educação para a Sustentabilidade da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Leila Maria Zen, o material reciclável não melhora só o meio ambiente, como também vira dinheiro para os catadores. “É menos material que vamos tirar da natureza e produzir novos produtos. Quanto mais conseguimos separar esse material, mais é agregado valor no recolhimento do coletor”, afirma.

Desde 2015, uma lei municipal proíbe o uso de animais, como os cavalos, para transportar materiais recicláveis. A restrição fez crescer um mercado nem tanto explorado: o de carrinhos elétricos.

A Prefeitura disponibilizou 18 veículos para as cooperativas, e mesmo assim, o número não atende toda a demanda.

O lixo eletrônico também é preocupante. Em média, oito quilos são descartados anualmente por cada habitante. O Brasil é o sétimo maior produtor desse tipo de resíduo no mundo, com mil e quinhentas toneladas por ano. Ainda no país, apenas 18% das cidades brasileiras possuem coleta seletiva. O restante ainda mistura lixo orgânico e reciclável em um pacote só.

 

Previous ArticleNext Article
Lorena Pelanda
Coordenadora de jornalismo da rádio BandNews FM Curitiba