Pesquisa aponta o perfil da produção imobiliária em Curitiba

Francielly Azevedo - CBN Curitiba


Nas últimas duas décadas os grandes edifícios construídos em na capital paranaense se concentraram na região central e imediações. Conforme a pesquisa do Perfil da Produção Imobiliária Formal em Curitiba, nesses endereços estão os empreendimentos imobiliários que concentram o maior volume de pessoas em um só local. A arquiteta do setor de Monitoração da Supervisão de Informações do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e coordenadora da pesquisa, Monica Máximo da Silva, explica que as edificações se consolidam nas regiões mais estruturadas da cidade.

“A principal constatação que tivemos é que as edificações de maior densidade habitacional continuam se consolidando na região mais infra-estruturada da cidade, principalmente no entorno do transporte público de massa, o biarticulado, e imediações. Então na região do bairro Cabral até o Portão e outro sentido no bairro Cristo Rei até o Batel”, conta.

Mônica conta que a região central, que tinha apresentado diminuição nas construções imobiliárias, voltou a ter uma implementação de edifícios residenciais. “Tivemos uma reversão do esvaziamento da região central, que vinha apresentando uma dinâmica mobiliária pouco significativa e voltou a ter uma mais acelerada”, diz a pesquisadora.

O desenho urbano da cidade mostra que em locais como o Xaxim, Cajuru, Atuba e Bairro Alto, por exemplo, predominam habitações unifamiliares em série, os conhecidos sobrados geminados. Já em Santa Felicidade estão os condomínios residenciais. Houve grande volume de habitações de interesse social implantado nas bordas do município em as áreas de expansão da cidade, localizadas nos extremos Norte, na Barreirinha, Cachoeira e Atuba, e ao Sul, nos bairros Tatuquara e Campo de Santana.

“Também verificamos um direcionamento da ocupação de habitações unifamiliares em regiões mais periféricas do município, mas que não tem uma densidade tão grande. Então não é tão preocupante”, avalia a arquiteta do Ippuc.

O objetivo da sondagem, de acordo com a arquiteta, é cruzar informações da produção imobiliária com a lei de zoneamento de 2000. Foram verificados 65 mil registros de imóveis na base de dados do Urbanismo.

“A pesquisa serve para verificar justamente se a produção imobiliária em Curitiba está se dando conforme está previsto na lei de zoneamento, uso e ocupação do solo. Então é muito importante para a Prefeitura, como embasamento para a Câmara Municipal e a sociedade civil que vai participar do processo”, completou Mônica.

Os empreendimentos imobiliários que integram a pesquisa tiveram o certificado de vistoria e conclusão de obra (CVCO) emitido entre 2000 e 2016.

Previous ArticleNext Article