Uso de correntes em cães pode ser proibido em Curitiba

Lorena Pelanda e Assessoria

O uso de correntes pode ser considerado maus-tratos a animais em Curitiba. Um projeto de lei da vereadora Fabiane Rosa, do DC, tramita na Câmara Municipal.

A proposta quer que o uso da corrente seja considerado tortura. A ideia também cita que dar apenas água e comida não é proporcionar o bem-estar do animal.

Durante essa semana, a vereadora destacou que a lei contra os maus-tratos aos animais está em vigor desde 2011, com o objetivo de “coibir toda e qualquer agressão, determinando as punições cabíveis”. No entanto, ela avaliou que a norma “em geral deixa de penalizar o aprisionamento, como pelo uso de correntes e pelo confinamento constantes, deixando a punição a uma análise subjetiva”.

“Pesadas correntes impedem o exercício de pelo menos quatro das cinco liberdades básicas para o bem-estar animal [de fome e sede; do desconforto; da dor, ferimentos e doenças; para expressar seu comportamento natural; e do medo e da angústia]. Eles têm dores constantes, são impedidos de expressar seu comportamento natural. É tratado como coisa, apenas como sombra do ser que é”, afirma a autora do projeto.


Caso aprovado, a pessoa que manter o animal em corrente pode ser multado em R$200 a R$200 mil,  perder o alvará e ter o animal apreendido.

Post anteriorPróximo post
Lorena Pelanda
Coordenadora de jornalismo da rádio BandNews FM Curitiba
Comentários de Facebook