Cineastas produzem documentário sobre manifestações em Curitiba

Narley Resende


Um grupo de cineastas está produzindo um documentário, longa-metragem, sobre as manifestações ocorridas em Curitiba desde o dia 13 de março deste ano. Até agora, o filme contém imagens e depoimentos dos maiores atos contra e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em diversas datas, além da manifestação dos professores da rede estadual de ensino do Paraná, do dia 29 de abril.

As gravações começaram quando foram realizadas as maiores manifestações do ano no país que pediam o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo o diretor do filme, Diego Fiorentino, o projeto “Manifesto” pretende documentar a postura dos manifestantes.

 “É a gente trabalhar com opinião de pessoas, de curitibanos e curitibanas; somos sediados aqui na cidade. O curitibano é mais retraído, agora está começando a falar um pouco mais sobre política, e como a Trópico trabalha com projetos que tem essa questão política, social de  como o mundo está se movimentando hoje, a gente viu que era um momento importante”, conta.

Segundo ele, o projeto contempla todos os fenômenos manifestos. “Fomos em manifestações, contra e pró-impeachment e aí teve em anexo a parada dos professores, no dia 29. A gente fez uma série de seis episódios, com seis testemunhas que sofreram algum tipo de violência naquela época e a gente lançou isso na semana da parada e fomos também no dia 29. A gente quer se desvincilhar do cinema, mostrar um pouco mais a cara na internet, tendência daqui pra frente”, afirma.

Foto: Laura Ling / Trópico
Foto: Laura Ling / Trópico

De acordo com a atriz e coordenadora do projeto, Cinara Vitor, a principal característica do projeto Manifesto é o fato de as pessoas tomarem a palavra para si, o que caracteriza a linguagem documental.

“A gente foi nas manifestações pró-impeachment, contra impeachment, na passeata dos professores, na passeata de apoio a Bolsonaro. Estamos cobrindo todo tipo de manifestação que acontece na cidade, que está caracterizando este momento político atual”, reforça.

“É ‘manifesto’ porque as pessoas tomam a voz pra si. A gente começa com uma pergunta e elas falam o que acham deste momento, por que participam desse ou daquele movimento, quais são as pautas do movimento, e as pessoas começam a falar por esse manifesto. Agora estamos indo para uma linguagem documental. Vale ressaltar que a gente não é jornalista. Trabalhamos com cinema, curta metragem, longa metragem. O projeto ‘manifesto’ é de cunho documental e não jornalístico”, explica.

O projeto Manifesto ouve a opinião de manifestantes de Curitiba sobre a atual conjuntura política do país. Episódios do filme independente estão disponíveis na playlist da página da produtora, em facebook.com/tropico23.

Previous ArticleNext Article