Clientes enfrentam fila para resolver pendências após greve dos bancários

Com CBN CuritibaO primeiro dia após o fim da greve dos bancários foi de muita fila nas agências de Curitiba. Grande part..

Mariana Ohde - 08 de outubro de 2016, 11:10

Com CBN Curitiba

O primeiro dia após o fim da greve dos bancários foi de muita fila nas agências de Curitiba. Grande parte das agências permaneceu 31 dias de portas fechadas, tempo total de duração da greve - a maior em vinte anos. Por isso, nesta sexta-feira (7), os clientes dos bancos tiveram que ter paciência para resolver as pendências.

Na maior unidade da Caixa Econômica Federal da capital, na Praça Carlos Gomes, a espera era de cerca de meia hora só para pegar a senha para o atendimento.

A maioria das pessoas precisava regularizar benefícios como o Fundo de Garantia (FGTS), o seguro desemprego ou a aposentadoria.

A dona de Casa Maria Aparecida Silvano relata que o cartão do banco está bloqueado. Com os bancários em greve, ela não conseguia acessar o dinheiro, que ficou preso na conta. "Já faz um mês que não recebo", lamentou. "Por enquanto, meu marido paga as coisas. Mas minhas contas mesmo ficaram atrasadas", conta, dizendo que vai ter que arcar com os juros agora.

No caso dos bancos públicos - como a Caixa Econômica e o Banco do Brasil - 100% das agências ficaram fechadas durante a greve que durou um mês.

De acordo com os clientes, pagamentos, transferências e outras movimentações puderam ser feitas mesmo durante a greve em caixas eletrônicos ou lotéricas, por exemplo. Mas em alguns casos, não teve jeito; com as agências fechadas, restou esperar.

Sem conseguir abrir uma conta bancária, a atendente de telemarketing, Lorena Camargo, teve dificuldades para receber o salário no período. "A gente precisa receber. Recebe em cheque, aí não tem como trocar. Tenta em mercado, pela cidade, mas não consegue - é só em banco mesmo", conta.

Orientações do Procon

O Procon orienta que nenhum prejuízo pode ser imposto ao consumidor por causa da greve. Por isso, quem tiver qualquer problema, deve formalizar reclamação, podendo também utilizar a plataforma do órgão de defesa do consumidor para isso.

Claudia Silvano, diretora do Procon-PR, esclarece que cabe aos credores disponibilizar meios alternativos de pagamento para o consumidor durante as paralisações, evitando assim a cobrança de juros ou outros encargos. De acordo com a Fenaban, as pessoas que atrasaram as tarifas públicas como água, telefone, e energia, devem ligar para as empresas e negociar uma forma de pagamento.

Fim da greve dos bancários

Após um mês de negociações, na quinta-feira (6), os bancários de Curitiba e região aceitaram a oferta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e retornam ao trabalho nesta sexta-feira. A proposta aceita é de reajuste de 8% nos salários, mais abono de R$ 3.500 a ser pago em até 10 dias após a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho.