Clientes reclamam da demora no prazo da entrega de encomendas pelos Correios

Francielly Azevedo - CBN Curitiba


Ao rastrear o status de entrega no site dos Correios, a mensagem que a nutricionista Daniele Pinho encontra é que o pacote dela chegou ao Centro Internacional em Curitiba e foi “liberado sem imposto”, com prazo de entrega de 40 dias úteis. Tudo estaria normal, se não fosse a data do registro em 2 de março, há quase três meses.

“Deram mais um prazo de alguns dias e nada. Agora toda vez que eu ligo me passam um novo protocolo, mas não tem previsão nenhuma de entrega”, falou.

Segundo a consumidora, a compra internacional foi vantajosa por causa do preço. Mas a demora na entrega já está causando transtornos. “Eu tenho que deixar uma pessoa no local pra receber mercadoria e a pessoa fica lá e não chega”, disse.

Daniele comprou cosméticos e tem medo que o produto estrague. “Você não sabe como foi o transporte, você imagina que foi embalado, mas você não sabe se está em um ambiente condicionado. De repente pode até comprometer a qualidade do produto”, afirmou.

A CBN Curitiba entrou em contato com os Correios, que por, meio de nota, disse que como possui apenas a informação de chegada ao país e, depois, a de entrega ao destinatário, os clientes têm a falsa impressão de que a encomenda ficou “parada”, quando, na verdade, está passando por diversas áreas em seu tratamento que não são exibidas no rastreamento.

Caso o prazo esteja vencido, a orientação é que o remetente do produto registre uma manifestação nos canais de atendimento dos Correios.

A nota ainda diz que, de acordo com as normas postais internacionais, o remetente, por ser o contratante do serviço postal no exterior e responsável legal pelo objeto, é o único beneficiário de possível indenização. Aos destinatários das encomendas nessa situação, a sugestão é que entrem em contato com o vendedor onde a compra foi realizada.

Ainda segundo os correios, entre os meses de novembro e dezembro do ano passado, houve aumento de 100% no volume de objetos internacionais destinados ao Brasil, o que impactou nas atividades de tratamento e distribuição de encomendas dessa natureza. Contudo, os Correios ressaltam que desde o início do mês do abril, devido à realização de força-tarefa, todo o fluxo internacional vem sendo regularizado.

Previous ArticleNext Article