CNT aponta piora nas estradas do Paraná

Redação


Foram divulgados nessa segunda-feira (30) os números da pesquisa anual da CNT (Confederação Nacional do Transporte). Eles apontam para uma piora nas condições gerais das estradas paranaenses.

Em 2015, 47,6% delas foram consideradas ótimas ou boas, enquanto em 2014 eram 49,2%. Já na comparação com 2011 a situação se mostra ainda pior — naquele ano 61,8% das estradas tinham condições ótimas ou boas.

Os dados apontam, no entanto, que as rodovias também não caíram tanto de padrão, já que houve um forte aumento das estradas consideradas regulares: foram 33,3% em 2015, contra apenas 23,3% em 2011.

Assim o índice de rodovias consideradas ruins ou péssimas não subiu tanto: foram 18,9% no último ano, enquanto eram 14,6% quatro anos antes.

Geometria

O estudo também apontou piora na geometria das estradas no Paraná. Em 2011, 30,5% foram considera-das ruins ou péssimas neste quesito, enquanto no último ano 45,5% foram avaliadas desta maneira.

Por dia, 351 são flagrados sem cinto Dados do Detran revelam que de janeiro a maio deste ano, já foram emitidas na Paraná 52.696 multas por falta de uso do cinto —47,5 mil pelo condutor e 5,1 mil pelo passageiro.

A lei que tomou obrigatório o uso é de 1984, mas, 32 anos depois, ela muitas vezes não é cumprida, alerta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

“Deveria ser cultural, um hábito, a primeira coisa a se fazer quando entrar em um carro. Não podemos negligenciar uma atitude que nos protege e protege quem mais amamos”.

(Metro Jornal Curitiba)

Previous ArticleNext Article