Cinco cobras, três aranhas e uma coruja são apreendidas em casa no PR

Cinco cobras, três aranhas e uma coruja foram capturadas pela Polícia Civil (PC-PR) nesta segunda-feira (26) em Colombo,..

Vinicius Cordeiro - 26 de agosto de 2019, 16:56

Foto: Divulgação / Polícia Civil
Foto: Divulgação / Polícia Civil

Cinco cobras, três aranhas e uma coruja foram capturadas pela Polícia Civil (PC-PR) nesta segunda-feira (26) em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. A presença dos animais em uma casa no bairro São Gabriel foi descoberta por uma denúncia anônima, resultando na prisão em flagrante de um homem de 21 anos.

As três aranhas eram tarântulas, enquanto as cinco cobras eram de três tipos. Duas píton, duas Corallus Batesi e uma Corallus Hortulanus (veja imagens de todos os animais abaixo). Eles serão encaminhados ao Cafs (Centro de Apoio à Fauna Silvestre), da prefeitura de Curitiba, e devem ficar no Passeio Público da capital paranaense.

"A denúncia foi feita semana passada, que teríamos animais silvestres sem autorização do Ibama. Os policias foram lá e a suspeita se confirmou. Questionado sobre a documentação, o homem disse que não tinha nenhuma. Para ele ter os animais, precisaria ter uma estrutura física e a autorização", conta o delegado Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).

O homem detido vai responder pela manutenção de animais silvestres em cativeiro. Se condenado, ele pode pegar, no máximo, um ano de prisão.

COBRAS DEVEM SER DA AMAZÔNIA

Rodolfo Corrêa, doutor em Zoologia e professor do curso de Ciências Biológicas da Universidade Positivo, atendeu a reportagem para falar dos animais capturados. Segundo ele, a coruja e as aranhas pode ter sido capturadas pelo suspeito aqui no Paraná, ou até na Mata Atlântica. Entretanto, as cobras devem ter vindo de outro estado ou até mesmo de outro país.

"Não são animais daqui. As Corallus só ocorrem na floresta tropical equatorial, ou seja, lá na bacia do Amazonas. Com certeza foram animais capturados lá e trazidos para cá. Já Piton é uma denominação inglesa para jiboia ou sucuri", diz Corrêa.

Além disso, o especialista ainda ressalta que a legislação não permite ter cobras, aranhas ou corujas como animal de estimação, salvo raras exceções. Entre diversos problemas, um é que as cobras e aranhas se alimentam de animais vivos. Em casos assim, são dados vários ratos.

Para fechar, Rodolfo ainda destacou a periculosidade desses animais soltos e perto de pessoas.

"São cobras que não tem veneno, mas isso não quer dizer que não tenha risco para a população se elas fugirem. Elas usam as presas para segurar as presas e enrolam em torno delas para quebrar os ossos. Isso se chama constricção, ou seja, elas matam por asfixia", finaliza Rodolfo.

Confira as imagens dos animais apreendidos.