Colégio cívico-militar: 19 escolas seguem em consulta pública para implantação no Paraná

Redação

Escolas estaduais do Paraná farão eleições para diretores em 9 de dezembro

A Seed (Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná) divulgou nesta terça-feira (3) novo balanço para a implantação dos colégios cívico-militares no estado.

A aprovação dos colégios cívico-militares está sendo feita por consulta pública junto à comunidade escolar.

Das 216 escolas escolhidas pelo Governo do Paraná para a implantação do modelo de colégio cívico-militar, 176 aprovaram a mudança, 21 mantiveram a manutenção do modelo tradicional e outras 19 ainda estão em consulta pública.

Confira abaixo as 19 escolas que ainda mantém aberta a participação da comunidade escolar:

  • Araucária – Colégio Estadual Maria da G. S. Silva e Lima
  • Campo Largo: Colégio Estadual Macedo Soares
  • Colombo – Helena Kolody
  • Curitiba – Cecilia Meireles
  • Curitiba – Etelvina C. Ribas C.E. Profa E.F. M
  • Curitiba: Gottlieb Mueller C.E E.F M
  • Curitiba: Isabel Lopes
  • Curitiba: João Loyola
  • Curitiba: Luiz Carlos de P. E. Souza C.E.P.E.F.M
  • Maringá: Tomaz Edison
  • Paiçandu: Vercindes dos Reis
  • Paranaguá: Colégio Didio A. Viana
  • Paranaguá: Colégio Estadual Helena V. Sundin
  • Paranaguá: Colégio Estadual Zilah Batista
  • Pinhais: Semiramis
  • Piraquara: Romário Martins
  • Ponta Grossa: Col. Est. Gal. Antonio Sampaio E.F.M
  • Santo Antônio da Platina: C.E. Edith de Souza Prado de Oliveira
  • Sarandi: Independencia

Para votar pela implantação ou pela manutenção do sistema vigente é preciso levar documento pessoal com foto para a escola, sendo que cada pai ou responsável vota de acordo com o número de filhos/tutores matriculados nesse local de ensino.

A implantação só será efetivada caso seja estabelecida maioria simples dos votos na escola, ou seja, 50% mais um voto.

Até o momento, 72.615 pessoas votaram na consulta pública em todo Paraná. A comunidade escolar é composta por pais e responsáveis dos alunos, professores, funcionários da escola e estudantes com mais de 18 anos.

Em todas as escolas que aprovaram a implantação do modelo cívico-militar, o novo modelo será integrado a partir de fevereiro de 2021, data que será iniciado o ano letivo do próximo ano.

Os colégios cívico-militares irão integrar as aulas dos professores da rede estadual com o controle administrativo e disciplinar dos militares. Cada escola terá um diretor geral e um diretor-auxiliar civil, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares.

Todos os diretores cívico-militares serão indicados pela Secretaria da Educação e do Esporte, que também terá a função de acompanhar o funcionamento do programa e do cumprimento das metas acadêmicas.

Confira neste link as escolas que aprovaram a implantação desse modelo e neste link aquelas que mantiveram o formato tradicional de ensino.

LEIA MAIS: Finados: Polícia flagra quatro ultrapassagens proibidas por hora durante feriado

Previous ArticleNext Article