Com escolta a caminhões de combustível, ônibus de Curitiba funcionam até domingo

Andreza Rossini

Após suspender 30% da frota de ônibus nos horários de pico e 50% nos demais horários, as empresas de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana informaram na manhã desta quinta-feira (24), que foi realizada uma operação com escolta de caminhões-tanque carregados com combustível para garantir o abastecimento das garagens de ônibus do transporte coletivo, durante a madrugada.

A escolta contou com equipes de segurança do Município, Estado e Governo Federal, da refinaria da Petrobrás em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, até as garagens. Com a medida, as empresas garantem o atendimento total à população pelo menos até o próximo domingo (27).

Foto: GM Curitiba

Com a medida, o transporte volta a operar com 100% da frota em todos os horários.

Na tarde de ontem os curitibanos enfrentaram dificuldades no retorno para casa devido a redução da frota de ônibus, com filas para entrar nas estações-tubo e ônibus superlotados.


A prefeitura informou que o combustível também foi garantido pra as ambulâncias e para a segurança pública.

Falta de combustível

As empresas de ônibus anunciaram na quarta-feira (23) que já não tinham combustível suficiente para atender a população, devido a greve dos caminhoneiros que deixou de abastecer os postos desde a última segunda-feira (21).

A Urbs havia determinado uma redução de 30% nos horários de pico (6h30 às 8h30; 11h às 13h; 17h às 19h30; 21h30 às 23h.) e de 50% nos demais horários. O prefeito Rafael Greca (PMN) desautorizou a medida e pediu que fosse feito um levantamento da quantidade óleo diesel disponível nas garagens das empresas.

A população lota os postos de combustíveis da cidade com medo de desabastecimento geral.

No Paraná, empresas já suspenderam o abate de gado, aves e peixes e produtores estão descartando leite, devido a falta de transporte.

Veja a nota na íntegra

As Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana informam que foi realizada nesta madrugada uma operação de escolta de caminhões-tanque, com o envolvimento dos órgãos de segurança do Município, Estado e Governo Federal, para o abastecimento das garagens da frota do transporte coletivo de Curitiba. Dessa forma, os ônibus têm autonomia para rodar normalmente ao menos até domingo. Esse resultado só foi possível devido ao trabalho em conjunto entre as empresas de ônibus, a Urbs e os Poderes Executivos. As empresas seguem atentas ao protesto dos caminhoneiros e vão buscar sempre medidas, como fizeram nesta madrugada, para impedir que a população seja prejudicada.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook