Comitê de Volta às Aulas do Paraná vai discutir estratégia para diminuir a evasão escolar depois da pandemia

No Paraná, o “Comitê de Volta às Aulas” vai discutir as estratégias para controlar os índices de evasão escolar. O comit..

Angela Luvisotto - BandNews FM Curitiba - 10 de julho de 2020, 14:32

Foto: Divulgação/SESA
Foto: Divulgação/SESA

No Paraná, o “Comitê de Volta às Aulas” vai discutir as estratégias para controlar os índices de evasão escolar. O comitê é formado por representantes da saúde, educação, casa civil, fazenda, Ciência e Tecnologia, Fundepar, Ministério Público, Conselhos Estadual e Municipais de Educação, Associação de Municípios e também com representantes do sistema privado e dos pais de alunos.

O objetivo do comitê é organizar os protocolos para a retomada das aulas no estado assim que as autoridades sanitárias autorizarem esse retorno.

A primeira reunião virtual do comitê aconteceu na última quinta-feira (10) e, segundo o diretor geral da secretaria, Glaucio Dias, o envolvimento de todos os atores da educação neste comitê vai garantir uma volta às aulas tranquilas em todo o Paraná:

"A secretaria de Estado da educação vem conversando há 45 dias com o CNE (Conselho Nacional de Educação) para tratar deste tema. O secretário Renato Feder enviou uma carta ao CNE sugerindo que o conselho discuta sobre este tema, para que o assunto seja debatido e tenhamos um retorno de forma organizada e segura para todas as famílias e profissionais envolvidos", esclarece Glaucio Dias.

Além do protocolo de retorno, o comitê também tem a missão de encontrar ferramentas e soluções para evitar a evasão escolar no período pós pandemia. Uma pesquisa realizada pelo Conselho Nacional da Juventude, realizada com mais 33 mil jovens brasileiros, entre os dias 15 a 31 de maio em todas as regiões do país, apontou que três em cada 10 jovens pensam em largar a escola no período pós pandemia.

Segundo o diretor da secretaria de educação do Paraná, o planejamento do programa Aula Paraná, que é o programa que promove a manutenção das aulas na rede pública estadual, também foi feito para minimizar os efeitos da evasão no estado:

"Nós tivemos sempre em mente que a manutenção e construção do sistema EAD tinha como um dos principais papéis o combate à evasão escolar. Nós temos um alto histórico de evasão escolar no estado, um dos nossos focos é combater isso. A gente tinha um receio muito grande de que o aluno, especialmente aqueles em situação de vulnerabilidade social, o aluno distante da sala de aula e sem nenhum contato inevitavelmente colaboraria para um aumento brutal do índice de evasão escolar", diz.

De acordo com os dados da secretaria, o programa de Educação à Distância implantado no Paraná é referência no país e atinge quase a totalidade dos alunos da rede pública paranaenses:

"A manutenção da rede EAD é uma forma de manter um vínculo com o aluno, de modo que esse quadro da evasão escolar não se agrave. Nós tivemos um bom avanço nesse cenário em 2019 em relação a 2018, mas se a gente permitisse que o aluno ficasse ausente da sala de aula todo esse período, certamente esse quadro se agravaria de uma forma contundente", afirma.

Mais de 1 milhão de alunos paranaenses da rede estadual acompanham, nesse momento, o conteúdo a distância. O Aula Paraná começou a ser transmitido no dia 06 de abril, e por dia são produzidas mais de 36 aulas a todos os alunos da rede. Além da TV aberta, as aulas também são transmitidas no Canal do YouTube Aula Paraná, que já tem mais de 23 milhões de visualizações.