Homem denunciado por homicídio de PM é condenado a 58 anos de prisão

Segundo a denúncia do MP, contrabandista de agrotóxicos fingiu rendição, mas abriu fogo contra dois militares, matando um dos policiais

Redação - 04 de agosto de 2022, 17:19

Colaboração
Colaboração

O homem denunciado pelo Ministério Público pelo assassinato de um policial militar, em Terra Roxa, no oeste do Paraná, foi condenado pelo Tribunal do Júri a 58 anos e quatro meses de prisão em regime inicial fechado.

O julgamento foi realizado nesta semana, no município do oeste paranaense. O crime, segundo narra a denúncia, aconteceu em dezembro de 2017, na zona rural de um município da região.

O policial militar e um colega faziam uma abordagem. O réu, que era contrabandista de veneno, reagiu à ação dos PMs, atirando nos dois servidores públicos.

Ainda segundo a denúncia, o assassino fingiu rendição. Em seguida, surpreendendo os policiais, tirou uma pistola 380 da cintura e abriu fogo contra os dois policiais militares.

A vítima foi morta com um tiro no peito. Conforme narra o Ministério Público, o outro PM só sobreviveu porque o disparo atingiu o carregador da sua pistola.

Após o crime, o contrabandista furtou a viatura e fugiu. Na sequência, abandonou o carro oficial e roubou outro veículo.

O homem foi denunciado por dois homicídios triplamente qualificados (um consumado e um tentado), além de roubo, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e porte ilegal de arma de fogo com numeração suprimida. Todas as qualificadoras foram reconhecidas pelos jurados.

Preso preventivamente desde novembro de 2019, o condenado seguirá detido, sem direito a recorrer em liberdade.