Congresso aprova plano para revitalização do Contorno Sul

Francielly Azevedo

Gustavo Fruet revitalização Contorno Sul

O Congresso Nacional aprovou, nesta terça-feira (10), uma emenda ao Plano Plurianual da União de 2020 para obras de revitalização do Contorno Sul de Curitiba, que interliga quatro trechos de rodovias federais e conecta o interior do estado a Curitiba.

São 57 quilômetros de extensão, começando na BR-277, no bairro Orleans, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal e terminando na BR-116, na altura do trevo da Ceasa.

O Contorno Sul acumula problemas no asfalto e reclamações dos motoristas e pedestres que circulam pelo trecho.

Todos os dias, cerca de 50 mil veículos trafegam nos dois sentidos da rodovia e 30% desse movimento é de caminhões e ônibus.

A emenda foi proposta pelo deputado federal Gustavo Fruet (PDT). O texto original previa R$ 450 milhões, destes R$ 300 milhões foram aprovados. A iniciativa agora depende da sanção do Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

“É uma região que atende vários municípios, que passa por quatro grandes rodovias, quem conhece sabe o grande fluxo de caminhões de carga, transporte urbano, metropolitano e interestadual. Uma região muito habitada e as pessoas sempre estão correndo muito risco por lá”, afirma Fruet.

A proposta já havia recebido parecer favorável do relator, senador Oriovisto Guimarães (Podemos) na Comissão Mista do Orçamento. A obra está indicada como investimento prioritário dentro do período de 2020 a 2027, dependendo apenas da alocação de recurso financeiro.

Gustavo Fruet, que foi prefeito de Curitiba de 2013 a 2016, destaca que ultimamente os municípios são cobrados por obras que são de competência federal.

“Cada vez mais os municípios estão sendo pressionados a garantirem a manutenção, em muitos casos até investimentos, como o caso da Linha verde, antiga rodovia federal, que a cidade praticamente assumiu toda a responsabilidade das obras”, disse o ex-prefeito.

Em 2013, ainda na gestão do ex-prefeito Gustavo Fruet, um projeto para revitalização do pavimento foi entregue ao Governo Federal, incluindo a pavimentação dos 57 quilômetros, três pistas para cada lado, faixa de segurança ao centro, acostamento, via marginal com calçadas, passarelas e ciclovias.

Em maio de 2014, o governo chegou a anunciar que a obra seria incluída no PAC (Projeto de Aceleração do Crescimento) para a capital paranaense.

Na época, foi informado que o edital da obra seria lançado em agosto daquele ano, com custo estimado em R$ 400 milhões, mas por conta das crises política e econômica, ele nem saiu do papel.

O Plano Plurianual estabelece, de forma regionalizada, as diretrizes, os objetivos e as metas da administração pública para as despesas de capital. As demais leis orçamentárias (como LDO e LOA) seguem essas linhas gerais do PPA.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.