Contra preconceito, jovens de Cascavel apagam pichações xenofóbicas da cidade

Integrantes da União da Juventude Socialista (UJS) de Cascavel, no oeste do Paraná, se reuniram em um ato simbólico nest..

Andreza Rossini - 30 de dezembro de 2016, 15:44

Integrantes da União da Juventude Socialista (UJS) de Cascavel, no oeste do Paraná, se reuniram em um ato simbólico nesta quinta-feira (29) para apagar as pichações xenofóbicas feitas em uma das praças centrais da cidade. O município é o segundo principal destino do Paraná de haitianos que imigram para o Brasil e, atualmente, abriga 1.568 estrangeiros, de acordo com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

A militante do grupo, Stefany Kovalski, afirmou que a atitude foi adotada para evitar o discurso de ódio.  "Nós resolvemos agir e tampar as ofensas racistas. Vivemos em uma sociedade democrática e precisamos de um mínimo de respeito. Isso não ofende apenas os haitianos que moram em Cascavel, como também todos os jovens que acreditam que o respeito e a cultura são soluções para um mundo melhor."

Veja o vídeo divulgado nas redes sociais: 

Curitiba é a cidade do Paraná que mais recebe imigrantes, abrigando 4.529 pessoas em 2015. O estado é o terceiro com maior número de estrangeiros no mercado de trabalho.