Copel anuncia reajuste de 1,5% e o Energia Solidária permanece

Copel reajusta tarifa da energia, mas mantém o Programa Energia Solidária para atender pessoas carentes ou de baixa renda.

Redação - 22 de junho de 2022, 10:41

Foto/Divulgação/Copel
Foto/Divulgação/Copel

 

A Copel acaba de reajustar a tarifa da energia em 1,5% para consumidores residenciais e 2,07% para clientes atendidos em baixa tensão. Segundo a Companhia, o reajuste, autorizado pela ANEL, é o menor registrado no país até agora e ficou abaixo da inflação acumulada nos últimos 12 meses que ficou próxima de 12%.

A Copel informou ainda que apesar do reajuste, o Programa Energia Solidária permanece. Ele prevê a isenção de tarifa para famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único do governo federal, e com consumo de até 150 kWh por mês. De acordo com a Copel, no mês de maio, cerca de 380 mil famílias no Paraná estavam ligadas ao programa.

O Programa Energia Solidária foi implantando em janeiro deste ano pelo governo do Paraná para realizar o pagamento da conta de luz das famílias com baixa renda que consomem até 150 kWh por mês. Com isso, cerca de 380 mil famílias estão sendo beneficiadas. O governo do Estado está investindo cerca de R$ 121 milhões por ano para subsidiar o benefício, que atinge, em média, 1,3 milhão de paranaenses.

O Energia Solidária faz parte do programa Paraná Solidário e substituiu o antigo Luz Fraterna, ampliando o subsídio da faixa de consumo de 120 kWh para 150 kWh por mês. Para ter direito ao benefício na residência, a família deve estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com cadastro atualizado há menos de dois anos e ter renda per capita inferior a meio salário mínimo nacional, além do consumo mensal de energia igual ou inferior a 150 kWh.

Famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único com renda mensal de até três salários mínimos nacionais e que tenham residentes com alguma patologia que requer o uso continuado de aparelhos ou equipamentos elétricos essenciais para a sobrevivência também têm direito ao benefício. Nesses casos, o subsídio é válido para o consumo de até 400 kWh por mês.

De acordo com a legislação, toda família que integra o Cadastro Único e possui uma conta de luz em seu nome terá direito automático ao benefício. O cadastro é feito pela própria Copel, com acompanhamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Já as famílias que possuem equipamentos médicos essenciais à sobrevivência em sua residência precisam informar a Copel. Os paranaenses que possuem o Cadastro Único, mas não têm a conta de luz no seu nome, também podem ter direito. Basta fazer o cadastro no site da Copel para que seja avaliado.