Coronavírus: Bares, lanchonetes e lojas de roupas lideram comércio irregular

Redação

bares, lanchonetes, lojas, decreto, resolução, coronavírus, pandemia, covid-19, prefeitura de curitiba, denúncias, comércio irregular, vigilância sanitária

Em meio às medidas de restrição impostas para combater a pandemia do coronavírus em Curitiba, bares, lanchonetes e lojas de roupas e acessórios lideram as denúncias de comércio irregular.

Na capital, o comércio não foi proibido de funcionar, mas deve cumprir medidas sanitárias. O horário também foi restringido, bem como alguns serviços foram suspensos de forma parcial ou total.

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, de segunda (22) a quinta (25), mais de 50 estabelecimentos irregulares foram fechados. Ao todo, foram feiras 177 fiscalizações em 25 bairros diferentes.

O comércio que deseja abrir as portas durante a pandemia do coronavírus deve seguir as regras impostas pelo decreto municipal 810/2020.

Além disso, a  resolução 01/2020 obriga medidas complementares, como uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social de 1,5 metro entre as pessoas que frequentam ou trabalham.

Conforme a prefeitura, todos os estabelecimentos fechados pela Vigilância Sanitária e guardas municipais haviam sido denunciados pela população por descumprirem as determinações dos decretos e resoluções.

Durante a bandeira laranja, o comércio considerado não essencial não pode abrir as portas antes das 10h ou depois das 16h. A exceção são os shoppings, que funcionam em horário diferenciado e não podem abrir aos finais de semana.

Previous ArticleNext Article