Corpo de homem que usava nome falso está retido há mais de 100 dias no IML

Redação

corpo, tio bê, nelson de jesus, sérgio teodoro costa, iml, instituto médico legal, polícia científica, matinhos, paranaguá, litoral, paraná

O corpo de um homem que usava nome falso está retido no IML (Instituto Médico-Legal) de Paranaguá, no litoral do Paraná, há mais de 100 dias. A família, que mora em São Paulo, ainda aguarda pela liberação do corpo.

Conhecido como Tio Bê, ele tinha 55 anos e foi assassinado no dia 24 de março, no bairro Tabuleiro, em Matinhos.

Em nota, a Sesp (Secretaria de Segurança Pública do Paraná) explica que o homem portava dois documentos diferentes. Ele tinha registros como Sérgio Teodoro Costa e como Nelson de Jesus.

Um RG é de São Paulo, outro do Paraná. Ambos têm registros condenações por crimes. Com a identidade paulista, ele era considerado foragido.

De acordo com a Sesp, a demora para concluir a liberação do corpo do IML se deve à incapacidade de comprovação da identidade.

Além disso, o fato de o homem, em vida, portar dois documentos de RG acarreta no crime de falsidade ideológica, que precisa ser apurado.

Ainda conforme a Sesp, a família do homem já teria sido informada pela Polícia Científica quantos aos procedimentos que precisam ser adotados.

Caberia à família solicitar a liberação do corpo na Justiça. Enquanto isso, cabe à Polícia Científica aguardar a decisão do Poder Judiciário.

*Com informações da BandNews FM

Previous ArticleNext Article