Equipes trabalham em córregos de Curitiba para evitar alagamentos

Os rios de Curitiba estão recebendo bacias de contenção de águas da chuva para impedir alagamentos na cidade. No bairro ..

Francielly Azevedo - CBN Curitiba - 01 de agosto de 2019, 06:55

Foto: Lucian Pichetti
Foto: Lucian Pichetti

Os rios de Curitiba estão recebendo bacias de contenção de águas da chuva para impedir alagamentos na cidade. No bairro Fazendinha, a intervenção começou no mês de junho. Ao todo, são investidos R$ 5,8 milhões.

As obras servem para controlar as cheias, como explica o diretor do Departamento de Pontes e Drenagem da Secretaria Municipal de Obras Públicas, o engenheiro Augusto Meyer Neto. "Quando chove com intensidade esses dispositivos de controle de cheias funcionam barrageando a parte da água, ou seja, funciona como retenção. E nos períodos de normais, de estiagem, funciona normal como um rio natural", explica.

As equipes trabalham com grandes máquinas para fazer a contenção na lateral das margens do rio e também construindo as caixas que vão reter as águas das fortes chuvas, evitando as cheias e alagamentos na região. "Nós temos ali a implantação das bacias, temos também a construção de alguns diques, ou seja, elas vão formar alguns lagos na época das grandes cheias. Estamos fazendo a retenção distribuída, até chegar no Rio Barigui ela vai diminuindo o impacto", conta Meyer Neto.

O sistema funciona da seguinte maneira: ele retarda o fluxo de água ao longo de toda a obra para evitar o deságue imediato no rio. Com isso, a água é escoada aos poucos, sem inundar casas, ruas e comércio.

O diretor do departamento de Pontes e Drenagem ressalta que a ideia é não causar transtornos para população durante as obras. "Vamos buscar minimizar ao máximo os transtornos para população. Ali temos alguns conjuntos habitacionais, várias moradias, e vamos avaliar passo a passo para que não aconteça transtornos aos moradores da região", garantiu.

As obras de instalação de bacias de contenção no bairro Fazendinha, que começaram em junho, devem ser concluídas em março do ano que vem.