Covid-19: Curitiba quebra a marca de 1,4 mil mortes pela doença

Redação

Covid-19: Curitiba quebra a marca de 1,4 mil mortes pela doença

Curitiba registrou nas últimas 24 horas, novos 274 casos e quatro óbitos pela Covid-19, segundo boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde nesta sexta-feira (16).

Desde 11 de março – início da pandemia da Covid-19 em Curitiba, 48.486 pessoas foram contaminadas e 1.401 óbitos foram registrados em decorrência da doença.

As últimas vítimas são três homens e uma mulher, com idades entre 64 e 88 anos. Dessas pessoas, três faleceram nas últimas 48 horas e todas apresentavam ao menos uma comorbidade para a Covid-19.

Já os casos ativos da Covid-19 seguem estabilizados, chegando ao patamar de 2.975 nesta sexta-feira. Todas essas pessoas são aquelas que ainda podem transmitir a doença.

A infectologista da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Marion Burguer, apontou que está sendo investigado um possível caso de reinfecção pelo vírus.

“Estamos investigando um caso de reinfecção pela Covid-19, que pode ser a mesma ou uma outra cepa do coronavírus. Por isso é importante que mesmo as pessoas que foram infectadas continuem com todos os cuidados”, explicou Burguer.

TAXA DE OCUPAÇÃO DOS LEITOS DE UTI TAMBÉM SEGUE ESTÁVEL

Os hospitais de Curitiba completaram mais uma semana com menos de 80% na ocupação dos leitos de UTI, chegando a marca de 71% espaços ocupados por pacientes com quadros graves da Covid-19.

Atualmente a Secretaria Municipal da Saúde disponibilizam 285 leitos de UTI exclusivos para a Covid-19, sendo que 82 estão desocupados nesta sexta-feira.

“Se for necessários temos a capacidade de complacência para girar a chave e colocar mais leitos exclusivos. Mas pedimos a colaboração de todos para que isso não seja necessário” pontuou a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Como comparação, no dia 28 de julho os leitos de UTI estavam com 94% de ocupação, mas agosto trouxe uma queda nesse índice, acompanhando também a diminuição dos casos ativos da doença.

Desde o início da pandemia, não houve colapso no sistema público de saúde na cidade, com a taxa de ocupação batendo o teto de 97%.

Outro número que corrobora com a desaceleração da Covid-19 em Curitiba é a média móvel na casa de 244,9. Em comparação, no dia 20 de julho o número era de 554,1.

Já a quantidade de mortes semanais pela Covid-19 registrou 50 óbitos durante setembro, enquanto em julho a média ficou na casa de 100 óbitos por semana.

LEIA MAIS: Cobertura vacinal em queda há cinco anos preocupa o Ministério da Saúde

Previous ArticleNext Article