Covid-19: Curitiba registra novos 799 casos e 26 óbitos

Jorge de Sousa

ônibus curitiba covid-19 região metropolitana

Curitiba registrou nas últimas 24 horas, novos 799 casos e 26 óbitos pela Covid-19, segundo boletim divulgado nesta quarta-feira (19), pela Secretaria Municipal da Saúde.

Com esses novos números, a capital paranaense chega ao seu 434° dia da pandemia da Covid-19 com 204.299 casos e 5.128 mortes em decorrência da doença.

As últimas vítimas fatais são 14 homens e oito mulheres com idades entre 39 e 92 anos. 15 dessas pessoas apresentavam menos de 60 anos.

O número de casos ativos em Curitiba registrou leve alta, chegando a marca de 8.738 pessoas com o vírus nesta quarta-feira.

Já a taxa de ocupação dos leitos de UTI segue na casa dos 95%. Atualmente, são disponibilizados 525 leitos para quadros graves da Covid-19 e 25 desses espaços estão livres.

Por fim, os leitos clínicos também apresentam índice de 95%, com 36 dos 750 espaços disponíveis para o internamento de pacientes com casos leves e moderados em Curitiba.

VEREADORES CRITICAM NOVO DECRETO CONTRA COVID-19 DE CURITIBA

A pandemia da Covid-19 foi centro das discussões na Câmara Municipal de Curitiba nesta quarta-feira. Oito vereadores criticaram o novo decreto restritivo contra a Covid-19 publicado nesta terça-feira (18).

Entre os parlamentares que apresentaram queixas no plenário estava Amália Tortato (Novo), que questionou a rigidez das medidas e a manutenção da proibição as aulas presenciais nas escolas municipais.

“Essa é uma bandeira laranja por fora, mas vermelha por dentro, com novas restrições ao comércio, de horários e de dias. O que temos visto são medidas autoritárias e arbitrárias. Onde está o embasamento científico das decisões da prefeitura? Nós vamos recorrer à pressão popular. O que estamos fazendo com as nossas crianças é criminoso e a Câmara não pode se calar diante desta situação”, declarou.

Já o vereador Dalton Borba (PDT) criticou o fechamento dos comércios aos sábados, em especial dos mercados. “Acredito que não houve nem estudo estatístico para isso. A lotação que havia [nos mercados no final de semana] recairá nos dias de semana. Que tipo de assessoria a secretaria da Saúde tem para tomar essas medidas? Talvez esteja na hora de trocar”.

O líder do governo na Câmara, vereador Pier Petruzzielo (PTB), rebateu os colegas de legislativo e apontou que existem critérios técnicos para a tomada de decisões na Secretaria Municipal da Saúde.

“No meio da pandemia, aparecem especialistas em vacinas, em horários de funcionamento, de todo tipo. E palpiteiros também. Nesse momento de guerra [contra o vírus], a gente precisa ter equilíbrio e tranquilidade”, finalizou.

LEIA MAIS: General Pazuello tenta blindar Bolsonaro na CPI, reage a Renan e mente ao menos quatro vezes

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="765092" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]