Covid-19: Profissionais da saúde enfrentam ansiedade e depressão

Em 2019, OMS (Organização Mundial da Saúde) apontou que o ano de 2020 seria o ano em que a depressão seria a doença mais..

Ana Cláudia Freire - 30 de junho de 2020, 15:26

Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Em 2019, OMS (Organização Mundial da Saúde) apontou que o ano de 2020 seria o ano em que a depressão seria a doença mais incapacitante do mundo. Logo depois viria a ansiedade.

O que a OMS não sabia é que 2020 seria também o ano da pandemia do novo coronavírus e que a Covid-19 mataria milhares de pessoas ao redor do planeta.

Manter em dia a saúde mental em tempos de tantas restrições, medos e incertezas é um verdadeiro desafio para a população em geral, como também para profissionais que lidam diariamente com esses transtornos.

A ABP (Associação Brasileiro de Psiquiatria), publicou em maio, uma pesquisa que aponta que  89,2% dos especialistas entrevistados destacaram o agravamento de quadros psiquiátricos em seus pacientes por conta da pandemia. Os motivos estariam no isolamento social e no medo do contágio da doença.

Ainda segundo esta mesma pesquisa, 47,9% dos profissionais tiveram um aumento nos atendimentos em seus consultórios.

Para o presidente da APPSIQ (Associação Paranaense de Psiquiatria), Dr. Júlio César Nogueira Dutra, a busca pela psiquiatria nunca foi tão necessária.

 “A população está adoecendo com as incertezas do futuro. Já sabemos que Brasil é o país mais ansioso do mundo e esse estado de alerta faz com que a população fique ainda mais ansiosa. Precisamos olhar  para essa inquietação que pode gerar a ansiedade e em alguns casos a síndrome de pânico e a depressão”, afirmou o especialista.

O médico afirma ainda que muitos pacientes que receberam alta de seus tratamentos estão retornando aos consultórios. Em contrapartida, muitas pessoas deixam de procurar o médico especialista por medo de se expor à doença.

“As pessoas preferem achar que ficando em casa sem a medicação estão mais protegidas. A população precisa se conscientizar que não pode ficar em casa doente. Tem medicamento para o  coração, pulmão, câncer e também  medicação pra questões de ordem emocional”, conclui o médico.

PROFISSIONAIS DE SAÚDE ESTÃO NA MIRA DA ANSIEDADE E DA DEPRESSÃO

Médicos, enfermeiras, auxiliares, técnicos e  servidores da área da saúde, que estão todos os dias na linha de frente no combate à Covid-19, podem ficar com  a saúde mental comprometida.

É o que aponta um levantamento da APPSIQ , que levou em conta dados do atendimento psiquiátrico voluntário feito para profissionais da área da saúde.

Foram três meses de atendimento totalmente voluntário e gratuito feito por 65 profissionais psiquiatras  ligados à Associação.

Ao todo, 168 profissionais de saúde passaram pelo atendimento, 73 médicos, 32 profissionais da equipe técnica e 29 auxiliares de enfermagem. Os demais atendidos são das mais diversas áreas da saúde.

Segundo a APPSIQ, a ansiedade foi o transtorno mais diagnosticado durante as consultas. 83 profissionais apresentaram os sintomas. 56 apresentaram sintomas de depressão, 14 de bipolaridade e 15 profissionais atendidos apresentaram quadros de fobia social, pânico, insônia, psicopatia e TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada).

Dos profissionais atendidos, 69 deles tem contato e exposição direta ao novo coronavírus,o que agrava potencialmente o medo de contrair a doença e de também contaminar parentes e amigos.

QUARTA ONDA

Segundo o Dr. Júlio César, esses profissionais tem desenvolvidos sintomas como nunca se tinha percebido.

“Imagina o profissional que sai todo dia pra enfrentar o inimigo fantasma? A  possibilidade de trazer pro lar, de se contaminar, adoecer, morrer? É muito comum entrar num estado de alerta e fazer  quadros ansiosos e depressivos”, explica.

Para o especialista, vivemos um  momento crítico e complicado para a saúde.

“Teremos, num futuro próximo, sequelas na sociedade.  O número de casos de doenças mentais vai aumentar exponencialmente. Para onde vai essa população? Aonde ela vai se tratar? É o que chamamos de quarta onda da doença - será um desafio olhar para esses quadros emocionais”.

FIQUE ALERTA AOS SINTOMAS

Os sintomas mais comuns da Ansiedade são:

  • Preocupações, tensões ou medos exagerados, sem a capacidade de relaxar;
  • Sensação contínua de que algo ruim vai acontecer;
  • Medo extremo de algum objeto ou situação;
  • Medo exagerado de ser humilhado publicamente;
  • Falta de controle sobre os pensamentos ou atitudes;
  • Pavor depois de uma situação muito difícil.

Os sintomas comuns da Depressão são:

  • Presença constante de pensamentos negativos;
  • Sentimentos de culpa;
  • Sensação de inutilidade;
  • Baixa auto-estima;
  • Tristeza;
  • Diminuição do prazer e do ânimo para atividades cotidianas.

Fonte: Ministério da Saúde

CARTILHA SAÚDE MENTAL COVID-19 

A Associação Brasileira de Psiquiatria  lançou em maio a cartilha "Saúde mental e Covid-19".

O documento tem como objetivo orientar a população sobre os riscos que o distanciamento social e a pandemia de Covid-19 podem trazer à saúde mental.

Pretende também auxiliar na elaboração de estratégias para lidar com os desafios trazidos pelo momento atual.

Para acessar a cartilha Saúde mental e Covid-19 clique aqui.