Cresce a procura por vacinas para febre amarela no noroeste do PR

Com Rosangela Gris | Metro Jornal MaringáA procura pela vacina da febre amarela aumentou nos postos de saúde de Maringá,..

Fernando Garcel - 25 de janeiro de 2017, 12:48

Com Rosangela Gris | Metro Jornal Maringá

A procura pela vacina da febre amarela aumentou nos postos de saúde de Maringá, no noroeste do Paraná, após a confirmação de surto e mortes em decorrência da doença nos estados de São Paulo e Minas Gerais, além do Distrito Federal.

Somente na primeira quinzena de janeiro, 547 doses da vacina foram aplicadas. O número é superior as 511 pessoas vacinadas no mês de dezembro de 2016.

A Secretaria Municipal de Saúde, no entanto, afirma não haver motivo para pânico ou para uma corrida aos postos de saúde já que a vacina faz parte do calendário de vacinação. A coordenadora de vacina do município, Edlene Aceti Goes, descarta a necessidade de doses de reforço a cada dez anos. “Desde o ano passado, o Ministério da Saúde determinou apenas duas doses da vacina para imunizar o paciente durante toda a sua vida. Além disso, existem grupos em que a vacina é contraindicada”, alerta.

Gestantes, pessoas acima de 60 anos, pacientes com doenças autoimunes e em tratamento para câncer fazem parte do grupo citado pela coordenadora. “É importante destacar que existem exceções. Mediante autorização médica, a pessoa pode receber a dose da vacina em qualquer unidade de saúde”, diz Edlene. A última morte por febre amarela na cidade foi em 2008. O paciente contraiu a doença em Goiás.