Criança socorrida no acidente da BR-277 segue na UTI Pediátrica do Hospital do Trabalhador

William Bittar - CBN Curitiba



A criança de dois anos que foi socorrida em estado grave no acidente envolvendo um caminhão e quatro carros, na tarde desta quarta-feira (2), na BR-277, em Paranaguá, no Litoral do Estado, passou por cirurgia e permanece na UTI Pediátrica do Hospital do Trabalhador, em Curitiba.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o menino foi levado para o centro cirúrgico com traumatismo craniano e fratura de fêmur.

Segundo o Corpo de Bombeiros, que atendeu as vítimas do acidente, além da criança, seis pessoas tiveram ferimentos leves e duas tiveram ferimentos moderados, entre elas uma gestante, que foi levada ao Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá.

O acidente aconteceu na altura do quilômetro 7 da rodovia. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local e afirmou que o motorista do caminhão, que seguia sentido Paranaguá, perdeu o controle do veículo, invadindo a pista contrária e atingindo os carros que seguiam na pista sentido Curitiba.

O policial rodoviário federal, Jefferson, estava na equipe que atendeu a ocorrência e diz que as causas desse acidente ainda são apuradas. “Foi tudo muito rápido, ninguém viu direito. O motorista do caminhão foi hospitalizado, não sabe se houve uma pane mecânica. Na remoção do caminhão, perceberam que a barra de direção estava quebrada, não se sabe se foi antes do acidente ou após a colisão”, explicou.

Jefferson ainda explica que o boletim de ocorrência que será finalizado pela PRF deve ser encaminhado à Polícia Civil, que continuará investigando o caso. O motorista do caminhão foi hospitalizado e após se recuperar deve ser levado à delegacia para prestar esclarecimentos sobre o acidente. “O boletim será encaminhado para Polícia Civil, junto com o documento da perícia. Então será aberto um inquérito pra ver se o motorista teve culpa (dolo) ou se realmente foi algo que não poderia ser evitado”, disse.

Um homem, de 30 anos, morreu ainda no local do acidente. Ele era o pai da criança que está internada.

O policial rodoviário ainda reforçou a necessidade de se fazer revisões nos veículos regularmente, pois, segundo ele, nessa época do ano, é muito comum ver carros parados nos acostamentos, principalmente na subida da Serra, por problemas mecânicos. “A gente percebe que após o feriado, na subida da serra, muitos veículos em acostamento com pane mecânica, principalmente por falta de revisão. Então a gente reforça que se faça a revisão do veículos, especialmente caminhões em que a chance de óbito é maior pelo tamanho do veículo”, destaca.

A pista sentido Curitiba chegou a ficar totalmente interditada durante o acidente e o trânsito foi normalizado após mais de seis horas de atendimento da concessionária que administra o trecho.

Previous ArticleNext Article