Crianças feridas, após família ser executada com 50 tiros, recebem alta

Francielly Azevedo e Vinicius Cordeiro

alvo mortos família 50 tiros

As duas crianças que ficaram feridas após o carro em que elas estavam ser atingido por pelo menos 50 tiros, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, receberam alta na tarde desta terça-feira (17), de acordo com o Hospital Regional de Ponta Grossa. O caso aconteceu no último domingo (18). Na ocasião, os pais das crianças e o irmão delas, de apenas seis anos, foram assassinados.

Segundo o Hospital, a menina, de 4 anos, foi baleada na região do quadril. Já o menino, de dois anos, não foi baleado, mas teve alguns ferimentos e precisou ser internado.

Uma mulher e outra criança que estavam fora do veículo foram atingidas por estilhaços de vidro.

O CASO

O homem, de 32 anos, e a mulher, de 27 anos, além do filho do casal, de seis anos, morreram após o carro ser alvejado. Os três chegavam em casa, no bairro Chapada, quando foram alvos de aproximadamente 50 tiros.

Robson e Daniele Ferreira morreram na hora, em frente ao portão. Já a criança chegou a ser encaminhada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

ACERTO DE CONTAS

Para o delegado da Polícia Civil do Paraná, Nagib Palma, que investiga a chacina, o caso está sendo investigado como um acerto de contas. Com passagens pela polícia, Robson estava em regime semiaberto e usava tornozeleira eletrônica após ser condenado por roubo.

“Pela forma que foi feita e a dinâmica que se percebe, foi um acerto de contas do mundo do crime. O personagem principal tinha passagens por roubo, a caixa eletrônico e pedágio, e por tráfico. Em 2014, ele já havia sofrido um atentado com um filho, então estamos com a investigação orientada nesse sentido”, disse.

As perícias mais detalhadas já foram solicitavas. Enquanto isso, a polícia tenta identificar o veículo utilizado pelos criminosos.

Na última segunda-feira (16), um carro queimado foi encontrado nas proximidades do Mosteiro da Ressurreição, que fica no mesmo bairro onde o crime aconteceu. Com alguns indícios, a polícia acredita que exista ligação com o crime.

A Polícia pede para que qualquer informação sobre o crime seja enviada pelo Whatsapp (42) 9 9827-9684. A denúncia é sigilosa.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.