Crise em Curitiba faz 2 mil alunos migrarem de escolas particulares para municipais

Angelo Sfair

escola pública municipal, migração, escolas particulares, crise econômica, coronavírus

A crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) fez quase 2 mil alunos migrarem das escolas particulares para a rede pública municipal de Curitiba.

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, o total de novos alunos matriculados chega a 1.997 desde março.

A rede municipal é responsável pelos CMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil) e pelas escolas de Ensino Fundamental e do EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Na rede pública, o Ensino Médio é uma atribuição do Governo Estadual. Conforme a Seed (Secretaria de Estado da Educação), 10.766 novas matrículas foram realizadas para alunos oriundos de escolas particulares.

O atendimento realizado pelo município é universal a partir dos 4 anos de idade. E, conforme a prefeitura, a migração não causa sobrecarga.

De acordo com a SME (Secretaria Municipal da Educação), apesar das quase 2 mil matrículas novas, a rede pública do município tem cerca de 10 mil vagas disponíveis.

COMO MIGRAR DA ESCOLA PARTICULARA PARA A REDE PÚBLICA

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, as famílias que quiserem migrar da escola particular para a rede pública municipal (CMEIs e Ensino Fundamental) devem procurar os Núcleos Regionais da Educação, que ficam nas Ruas da Cidadania.

No núcleo mais próximo de casa devem ser levados os seguintes documentos do estudante:

  • Certidão de Nascimento (original e cópia)
  • Declaração de transferência ou histórico escolar de origem
  • RG e CPF dos pais (cópias)
  • Código do NIS (Número de Identificação), para os inscritos no Bolsa Família
  • Boleto recente da Copel (comprovante de endereço)
  • Declaração de vacinação (disponível em qualquer posto de saúde)

O próprio Núcleo Regional de Educação irá analisar as vagas disponíveis e indicar as escolas para que a família defina onde será feita a matrícula.

AULAS PRESENCIAIS SUSPENSAS

Por enquanto, a Prefeitura de Curitiba não informou a data prevista de retomada das aulas presenciais, que estão suspensas desde março devido à pandemia do coronavírus.

O decreto mais recente que aborda esse assunto mantém as aulas suspensas, pelo menos, até o dia 2 de agosto. A data de retorno depende a avaliação do quadro epidemiológico.

Até lá, os estudantes matriculados devem acompanhar as videoaulas e realizar as atividades pedagógicas propostas pelos professores. O material está disponível no YouTube (Canal TV Escola Curitiba) e é veiculado nos canais de TV 9.2 e 4.2.

Previous ArticleNext Article