Caso Daniel: MP apela e pede que Cristiana Brittes responda por homicídio no júri

Vinicius Cordeiro

cristiana brittes daniel mp

O MP-PR (Ministério Público do Paraná) enviou uma apelação à Justiça nesta quinta-feira (12) para que Cristiana Brittes seja julgada por homicídio qualificado da morte do ex-jogador Daniel Corrêa Freitas no júri popular.

O pedido foi encaminhado à juíza Luciani Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais. No final de fevereiro, a magistrada determinou que os sete réus do caso (confira a lista abaixo) vão à júri popular – ainda sem data definida.

No entanto, a decisão também retirou de Cristiana Brittes a imputação do crime de homicídio qualificado. Ou seja, a esposa de Edison Brittes, assassino confesso do jogador, foi impronunciada da acusação mais grave feita pela promotoria.

Apesar de não responder pela morte de Daniel, Cristiana foi acusada pelos crimes de fraude processual, corrupção de menor e coação no curso do processo. Ou seja, a juíza avaliou que o MPPR não conseguiu provar que Cristiana teve participação no assassinato do ex-jogador.

Com a apelação do MP, a magistrada reavalia a decisão proferida em fevereiro. Caso a juíza mantenha a decisão, o Ministério Público ainda pode apelar à segunda instância, no Tribunal de Justiça.

DEFESA VÊ RECURSO COM NATURALIDADE

Procurada pela reportagem, a defesa de Cristiana Brittes diz que recebe o recurso do Ministério Público com naturalidade.

“A defesa está tranquila quanto a robusta produção de prova que levou a justiça a impronunciar Cristiana da injusta acusação de homicídio”, diz a nota do advogado Cláudio Dalledone Júnior.

Atualmente, Cristiana responde ao processo em liberdade. Ela foi solta em setembro de 2019, 11 meses depois de ter sido presa. Durante o tempo detida, ela ainda teve de ser transferida de presídio, assim como Allana, após receberem ameaças de outras detentas.

OS RÉUS E AS ACUSAÇÕES NO CASO DANIEL

Confira os sete réus da morte de Daniel e por quais crimes cada um deles responde:

  • Edison Brittes: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e coação.
  • Eduardo Henrique Ribeiro da Silva: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor.
  • David William Vollero Silva: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual.
  • Ygor King: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual.
  • Cristiana Brittes: fraude processual, corrupção de menor e coação.
  • Allana Brittes: fraude processual, corrupção de menor e coação.
  • Evelyn Perusso: fraude processual.
Previous ArticleNext Article