Cúpulas discutem últimos ajustes para construção de nova ponte em Foz do Iguaçu

Redação e Metro Jornal Curitiba

Ontem o diretor-geral da Itaipu Binacional, Joaquim Silva e Luna, e o governador Ratinho Junior debateram minuta de contrato


Uma terceira reunião entre as Prefeitura de Foz do Iguaçu, cúpulas de Itaipu Binacional e do governo do estado, debateu os últimos detalhes do contrato para a construção da segunda ponte na fronteira com Cidade de Leste.

Há 15 dias o governo federal publicou no Diário Oficial da União o convênio delegando oficialmente a gestão da obra ao governo paranaense. Já os recursos, estimados em R$ 448 milhões, ficaram por conta do lado brasileiro da usina. O mesmo documento prevê que os repasses de Itaipu para o governo sejam definidos por um outro convênio apenas entre as partes: é isto que ainda está sendo definido.

Ontem Ratinho comemorou a nova obra. “Essa estrutura era sonhada pelos paranaenses e paraguaios. A Ponte da Amizade tem meio século de vida e não suporta mais o tráfego. A nova estrutura vai melhorar o sistema modal da região e dará mais segurança”, destacou.

A construção foi anunciada no começo de maio pelos presidentes dos dois países: Mario Abdo Benítez e Jair Bolsonaro. Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Joaquim Silva e Luna, não há impacto na tarifa de energia.

Projeção de como ficará a nova ponte │ Divulgação / Itaipu
Local onde nova ponte será construída. Foto: Ricardo Bezerra/Itaipu Binacional

Licitação retomada

A obra será feita pelo consórcio Construbase – Paulitec, que ganhou a licitação de julho de 2014. O governo federal devia bancar a ponte, mas a crise impediu os repasses. A previsão de início da obra é no mês que vem.

Previous ArticleNext Article