Curitiba volta à bandeira amarela e tem estabilização dos casos de Covid-19, diz SMS

Vinicius Cordeiro

curitiba covid casos mortes boletim

Curitiba retomou a bandeira amarela e está em processo de estabilização dos casos de covid-19, de acordo com a SMS (Secretaria Municipal da Saúde). O boletim de hoje confirma mais 11 óbitos e 326 casos. Com isso, a capital paranaense totaliza 1.246 mortes e 42.805 infectados pelo novo coronavírus.

“A nossa bandeira está amarela, felizmente, e está sendo publicado o decreto 1270. A gente sempre muda na segunda-feira, mas entendendo o momento da sociedade, o decreto entra em vigor a partir da 00h do domingo, permitindo que possamos abrir restaurantes, feira do Largo da Ordem, shoppings e supermercados“, disse a secretária da Saúde, Márcia Huçulak.

Segundo ela, é necessária a responsabilidade de todos para Curitiba não voltar à bandeira laranja e é necessário que todos sigam as ações contra a transmissão do vírus, como uso de máscara e distanciamento social.

“Por favor, vamos implorar: nos ajudem a manter a bandeira amarela. Quem for à qualquer atividade, [use] máscara o tempo todo. A vacina demora um pouco. 2021 se tivermos vacinas para idosos e profissionais da Saúde, já estamos no lucro. Se mantivermos a bandeira amarela, poderemos liberar mais atividades”, completou.

O boletim desta sexta ainda aponta que mais de 37 mil pessoas estão liberadas de isolamento e são consideradas recuperadas e 565 casos estão em investigação. O destaque principal da SMS é o número de casos ativos, ou seja, de pessoas com potencial com transmissão do vírus. Hoje são 3.811 casos ativos.

“A gente destaca o número de casos ativos, que do ponto de vista epidemiológico é o mais relevante para nós. Voltamos ao patamar antes do pico. Esse número está similar ao dia 7 e 8 de julho, quando começamos a subir. Mostra também que estamos gradativamente reduzindo esse número”, destacou Huçulak.

De acordo com ela, o pico do coronavírus em Curitiba foi na segunda quinzena de julho. Os números voltaram a crescer no fim de agosto e por isso que a bandeira laranja . Outra taxa monitorada pela SMS é a taxa de transmissão, chamada de ‘r’. O índice estava acima de 1 no dia 4 de setembro, mas hoje é de 0,81.

“Na semana passada não tínhamos como prever, visto o feriado que tivemos no dia 7 de setembro. Por isso precisávamos sentir o comportamento da doença nessa semana para ter mais confiança em relação aos números que vão se estabilizando. Estão descendo, devagar, mas é descendente“, completou a epidemiologista Martha Burger.

Por fim, a taxa de ocupação dos 334 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 é de 77%. A Secretaria sempre ressalta que todos os pacientes com quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos de covid-19, e não apenas os casos confirmados da doença. No momento restam 77 leitos livres.

MUDANÇAS DA BANDEIRA EM CURITIBA

O sistema de bandeiras foi elaborado pela SMS no início da pandemia. As cores amarela (alerta), laranja (risco médio) e vermelha (risco alto) são representadas pelas notas 1, 2 e 3, valores da taxa calculada por meio de nove indicadores. Seis deles avaliam o nível de propagação da doença e três monitoram a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

A primeira atualização da bandeira foi em junho, quando a bandeira se tornou laranja. O decreto foi prorrogado duas vezes naquela ocasião – uma no dia 3 de agosto e outro no dia 10. A bandeira voltou a ser amarela no dia 18 do último mês. Contudo, o aumento de casos diários e a preocupação com o atendimento do sistema de Saúde fez com que a SMS voltasse à bandeira laranja no início de setembro.

Agora o novo decreto da bandeira amarela vale a partir deste domingo (27).

MORTES E CASOS DE COVID-19 EM CURITIBA

  • 1.246 mortes;
  • 42.805 casos confirmados;
  • 37.748 pessoas consideradas recuperadas;
  • 565 casos em investigação.

Previous ArticleNext Article