Curitiba terá frota total de ônibus, garante Greca após reunião com Bolsonaro sobre coronavírus

Vinicius Cordeiro

curitiba greca ônibus coronavírus

Curitiba terá frota completa dos ônibus no período de combate ao coronavírus, garantiu o prefeito Rafael Greca neste domingo (22) após reunião com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A determinação do transporte público da cidade aparece após o transtorno da última sexta-feira (20), quando diversas linhas não tiveram o funcionamento do número total de veículos. A situação causou tumulto aos passageiros, que ficaram aglomerados nos terminais – desrespeitando uma das principais regras para evitar o contágio da doença.

“Nós tivemos um episódio de mal-entendido com a Comec. Linhas do nosso sistema seguraram o número de ônibus imaginando a diminuição do número de passageiros, que de fato tem caído. Mas mesmo com colégios, universidade, comércio e bares fechados, teremos frota plena”, explicou Greca.

Além disso, o prefeito também deu uma recomendação para quem for utilizar o transporte público em Curitiba.

“Se você ver que o ônibus está cheio, espere o próximo. Não vai ter espera demorada. Vai ter oferta plena, como fazemos todos os dias”, completou.

A ação evita aglomerações e contatos físicos, medidas essenciais para abaixar o risco de transmissão do coronavírus. Além dessas medidas, também são recomendadas pelo Ministério da Saúde: lavar a mão com água e sabão ou álcool gel, não dividir objetos pessoais e manter ambientes ventilados.

CORONAVÍRUS EM CURITIBA

Segundo a última atualização da Secretaria Municipal de Saúde, os casos confirmados de coronavírus subiram para 31. Segundo a infectologista Marion Burger, os dois novos casos se referem a um casal que retornou de Miami, nos Estados Unidos recentemente.

Com isso, Curitiba tem 31 casos confirmados, 279 suspeitos e 131 descartados. O único paciente em estado grave é o médico Jamal Munir Bark, que segue internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Marcelino Champagnat.

REUNIÃO COM O MINISTRO DA SAÚDE E BOLSONARO

O prefeito Rafael Greca teve uma reunião, por videoconferência, como o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o presidente Jair Bolsonaro na manhã deste domingo.

Greca definiu a conversa como “confortadora”, ressaltando que o governo federal deixou claro que vai suportar e apoiar a luta contra o coronavírus. Segundo ele, o governo disse que nada faltará ao SUS (Sistema Único de Saúde) no país.

“O presidente foi muito firme em dizer que não vai medir esforços para suportar a carga nesse momento difícil”, relatou Greca.

Além disso, Greca justificou a rodagem da frota total de ônibus com a orientação do governo federal em não fechar estradas ou vias de ligação. Além disso, o prefeito classificou os políticos que defendem o fechamento total das rodovias como ‘turma do fecha tudo’.

“Ele [ministro da Saúde] explicou que não pode haver bloqueio absoluto local de todas as estradas, meios de transporte, seja no transporte urbano ou de cargas. O fecha tudo é relativo, significa fique em casa. Mas não significa destruir completamente os serviços essenciais”, finalizou Greca.

Previous ArticleNext Article