Curitiba oferece capacitação para psicólogos em protocolo específico pós-covid

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza, nesta terça-feira (21), um curso de capacitação junto aos psicólogos da R..

Redação - 20 de setembro de 2021, 11:56

Young adult man suffering from severe chest pain.
Young adult man suffering from severe chest pain.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realiza, nesta terça-feira (21), um curso de capacitação junto aos psicólogos da Rede de Saúde de Curitiba para acolhimento e tratamento de pacientes pós-covid.

O curso direcionado aos profissionais de saúde é gratuito e acontece em parceria com a psicóloga Luciana Deutscher, que trabalha com o atendimento psicológico de pacientes e familiares no pós-covid. A capacitação será dividida em dois módulos: acolhimento para pacientes que passaram por internação grave em virtude da Covid-19 e protocolo específico para atendimento psicológico de pacientes pós-covid-19.

Independente da variante em circulação, duas doses da vacina, distanciamento social, higienização das mãos e uso de máscaras evitam a proliferação do vírus. No entanto, é de conhecimento também, que independente da gravidade da doença, ou seja, assintomático ou não, o paciente pode desenvolver sequelas, não apenas físicas como emocionais.

“Não é simplesmente se curar e não estar com o vírus ativo no organismo. Cada pessoa pode desenvolver sequelas diferentes, que vão desde fadiga, dores musculares, depressão, ansiedade, entre outros”, aponta a psicóloga Luciana Deutscher.

Também nesta terça-feira (21) acontece ainda um treinamento voltado aos demais profissionais da Rede de Saúde de Curitiba, com o tema “Acolhimento e Comunicação Não Violenta em tempos de pandemia”. O curso será ministrado pela psicóloga Luciana Deutscher e pela palestrante Camila Panaro. As duas profissionais participam de um projeto voluntário de acolhimento e tratamento de pacientes pós-covid, e com isso, desenvolveram protocolos únicos de atendimento.

“Além da atenção ao paciente, os profissionais precisam praticar o autocuidado, ou seja, acolher-se para poder acolher. E as sequelas não são somente do paciente e do familiar que contraiu o vírus, mas também de todos os profissionais que estiveram e estão na linha de frente dessa pandemia”, completa Camila.

Confira mais informações sobre a capacitação e o link para inscrições aqui.