Vereadores aprovam tarifa diferenciada e bilhete único no transporte de Curitiba

Francielly Azevedo - CBN Curitiba e William Bittar - CBN Curitiba

transporte coletivo ônibus curitiba

O substitutivo que trata do bilhete único para o transporte coletivo de Curitiba foi aprovada, por unanimidade, na Sessão Plenária da Câmara Municipal de Curitiba, desta segunda-feira (9). A proposta, do vereador Bruno Pessuti (PSD), inclui ainda a criação de condições jurídicas para viabilizar também a passagem com preço diferenciado, em determinados horários e linhas.

Conforme a iniciativa, a “chamada tarifa temporal”, também conhecida como “bilhete único”, permite ao passageiro pegar mais de um ônibus durante um determinado período de tempo, mesmo fora de terminais, sem pagar nova passagem. Já as tarifas diferenciadas por horário, autorizam a cobrança de um valor mais baixo fora dos horários de pico.

Segundo o vereador, o projeto pretende incentivar que a população utilize o transporte coletivo da cidade.

“Esse projeto retoma a característica inovadora da cidade de Curitiba no transporte coletivo. Sempre fomos vanguarda, mas perdemos essa capacidade de inovação ao longo dos últimos anos. Agora, criando novas possibilidades tarifárias, é uma forma de atrair o passageiro para dentro do transporte. Infelizmente, temos acompanhado uma queda muito grande dos passageiros pagantes”, avalia.

Atualmente a passagem em Curitiba custa R$ 4,50 e só permite integrações em terminais e estações-tubo.

Segundo o parlamentar, o projeto viabiliza que o bilhete único possa funcionar de diversas formas.

“Sempre dissemos que essa tarifa única de R$ 4,50 tenha validade por duas horas, mas novas tarifas podem ser criadas. Como uma nova tarifa única diária, quinzenal e mensal. Um valor que seria um tanque de gasolina, o usuário poderia utilizar o transporte durante o mês inteiro. Quem recebe o vale-transporte, pode ser beneficiado. Ao invés de pagar 44 passagens, ter um vale-transporte mensal de maneira ilimitada. Pode utilizar cinco, dez, 15 vezes por dia. Claro, com biometria, para impedir uma fraude”, completa.

O substitutivo pretende incluir dispositivos na lei municipal que trata sobre a organização do transporte coletivo de Curitiba. Além da tarifa diferenciada, a proposta regulamenta a validade dos créditos do cartão-transporte por um ano, com exceção da Linha Turismo. Os créditos expirados seriam incorporados ao FUC (Fundo de Urbanização de Curitiba).

Na última semana, a Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) anunciou um projeto piloto para aplicação de tarifa diferenciada do transporte coletivo em horários de menor movimento. A nova tarifa, de R$ 3,90 (R$ 0,60 a menos que a tarifa convencional), está sendo aplicada na linha Pinhais/Guadalupe desde esta segunda-feira (9) nos períodos entre às 9h e às 11h; 14h e 16h; e 20h e 00h.

O vereador Bruno Pessuti disse que um dos dispositivos do projeto é semelhante a esse testado pela Comec, mas que a Urbs ainda estuda qual será o valor.

“O preço não está definido, a URBS está fazendo os cálculos. Temos certeza que poderá atingir uma redução de até 10% no preço para beneficiar aquelas linhas que tem grande ociosidade. É uma vantagem para o cidadão e uma opção radical para o transporte coletivo. Temos que fazer essa opção para avançar como uma cidade moderna e inovadora”, finaliza.

O projeto agora segue para votação em segundo turno. Se aprovado, irá para sanção ou veto do Prefeito. Caso seja sancionada, a lei entrará em vigor 30 dias após a publicação em Diário Oficial do Município.

Previous ArticleNext Article