Em novo decreto, prefeitura de Curitiba libera festas, cinemas, teatros e buffets

Vinicius Cordeiro

prefeitura de curitiba decreto covid cinemas

A prefeitura de Curitiba publicou hoje novo decreto que permite a realização de festas e buffets, a reabertura de cinemas, teatros e museus, amplia o horário de funcionamento dos shoppings. As novas regras no enfrentamento à covid-19 valem pelos próximos 14 dias a partir deste sábado (10).

O anúncio foi feito pela secretária Márcia Huçulak, da Saúde, durante a live de divulgação do boletim do coronavírus. Hoje a capital paranaense totaliza 46.775 casos confirmados e 1.355 mortes.

As liberações acontecem, segundo a SMS (Secretaria Municipal da Saúde), por causa da queda no número de casos e óbitos registrados. São contabilizadas 50 mortes por semana desde o início de setembro. Nos meses de julho e agosto, a média foi de 100 óbitos por semana.

Apesar da flexibilização, foram ressaltados que devem ser mantidos as recomendações, como uso de máscara e álcool gel, durante esse período. Além disso, existem algumas limitações: será proibido o consumo de pipoca dentro da sala de cinema (onde é obrigatório o uso constante de máscara) e os eventos podem acontecer com máximo de 50 pessoas, respeitando o decreto do governo estadual.

“As pessoas pode circular, mas com muita preocupação para manter esse momento da cidade. Estamos indo bem, diminuindo [a transmissão do vírus] e precisamos continuar dessa forma”, declarou Huçulak. “É um aprendizado que temos nos últimos meses e que vamos ter que levar por vários meses ainda para não transmissão de um vírus que quer ser transmitido”, completou a infectologista da SMS, Marion Burger.

CURITIBA LIBERA CINEMAS, TEATROS EVENTOS: VEJA O QUE VALE NO NOVO DECRETO

Veja o que passa a valer em Curitiba neste sábado (9), com o novo decreto:

Atividades com capacidade máxima de até 50 pessoas

  • Estabelecimentos destinados ao entretenimento em espaços fechados, tais como circos, teatros, cinemas e museus. Sem consumo de produtos alimentícios e de bebidas pela plateia. Ou seja,
  • Estabelecimentos destinados a casas de festas com serviços de buffets; podendo funcionar inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço (self-service). Das 6h às 23h e só podem ser usados equipamentos e brinquedos de uso individual.
  • Estabelecimentos destinados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico e/ou científico.
  • Os estabelecimentos que prestam esses serviços e atividades deverão definir fluxos diferenciados de entrada e saída do público, podendo funcionar em todos os dias da semana, sendo permitida a disponibilização de música ao vivo, ficando proibido o funcionamento de pista de dança.

Funcionamento com restrições

  • Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais podem abrir todos os dias, das 10h às 20 horas.
  • Shopping centers podem abrir todos os dias, das 11h às 22 horas.
  • Restaurantes e lanchonetes podem abrir todos os dias, das 6h às 23 horas, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço (self-service). Está permitida música ao vivo, mas sem pista de dança.
  • Bares podem abrir todos os dias da semana, das 6h às 23h. Está permitida música ao vivo, mas sem pista de dança.
  • Parques infantis e temáticos podem abrir todos os dias da semana. Está permitida apenas a utilização de equipamentos e brinquedos de uso individual. Está permitida música ao vivo, mas sem pista de dança.

Devem operar com no máximo de 50% de sua capacidade

  • Hotéis, resorts, pousadas e hostels;
  • Call center e telemarketing: a partir das 9h (exceto os vinculados a serviços de saúde ou home-office, que podem funcionar com capacidade normal).

CURITIBA SEGUE COM BANDEIRA AMARELA

Marion Burger (esq.)) e secretária da Saúde, Márcia Huçulak (dir.) durante live do boletim de covid-19 em Curitiba. (Reprodução)

O sistema de bandeiras foi elaborado pela SMS no início da pandemia. As cores amarela (alerta), laranja (risco médio) e vermelha (risco alto) são representadas pelas notas 1, 2 e 3, valores da taxa calculada por meio de nove indicadores. Seis deles avaliam o nível de propagação da doença e três monitoram a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

A primeira atualização da bandeira foi em junho, quando a bandeira se tornou laranja. O decreto foi prorrogado duas vezes naquela ocasião – uma no dia 3 de agosto e outro no dia 10. A bandeira voltou a ser amarela no dia 18 do último mês. Contudo, o aumento de casos diários e a preocupação com o atendimento do sistema de Saúde fez com que a SMS voltasse à bandeira laranja no início de setembro.

Agora o novo decreto da bandeira amarela se mantém até o dia 24 de outubro.

Previous ArticleNext Article