Curitiba recebe evento gratuito sobre fonoaudiologia neste sábado

Quem estiver pelo calçadão da Rua XV de Novembro,  na manhã do próximo sábado (7), poderá participar do evento gratuito ..

Redação - 06 de dezembro de 2019, 08:45

(Crédito:Valdecir Galor/SMCS)
(Crédito:Valdecir Galor/SMCS)

Quem estiver pelo calçadão da Rua XV de Novembro,  na manhã do próximo sábado (7), poderá participar do evento gratuito de orientações sobre a ‘Saúde da Comunicação e a Importância de se Comunicar Bem’.

Profissionais Fonoaudiólogos irão atender os cidadãos dando dicas sobre diferentes áreas que envolvem as especialidades da Fonoaudiologia, em comemoração ao Dia do Fonoaudiólogo.

Entre os serviços de orientação está o iminente risco que os jovens mundo afora estão expostos ao utilizarem o fone de ouvido. Fonoaudiólogos especialistas em saúde auditiva farão o alerta e aproveitarão a oportunidade para dar dicas e sobre como usar um fone (volume), qual o tempo de uso adequado e quais os sintomas que devem ser levados em consideração, indicando que a audição eventualmente esteja sendo comprometida.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1 bilhão de jovens no mundo correm risco de desenvolver problemas auditivos devido à exposição prolongada e excessiva a sons em volume alto, um problema que atinge 50% da população na faixa dos 12 aos 35 anos.

O evento tem a participação do Conselho Regional de Fonoaudiologia 3ª Região (CREFONO3), vai inflar uma ‘orelha gigante’, em que as pessoas poderão visualizar os detalhes de como os ruídos podem causar lesões no aparelho auditivo.

Outra orientação que será repassada se refere ao ‘Trauma de Face’, muito comum em consequência de acidentes frontais nas estradas ou mesmo em quedas. Neste tema os especialistas vão orientar a população sobre a importância de se ter um Fonoaudiólogo na equipe de tratamento, como se deve exigir ou buscar por esse profissional e quais os as implicações para a comunicação do paciente após passar por esse processo de trauma.

“Um paciente nunca é igual ao outro e por isso a atuação do Fonoaudiólogo precisa ser específica e individualizada, fato que vai atender a necessidade de quem sofreu o acidente. O profissional, por exemplo, vai ajudar a restabelecer a mobilidade mandibular, evitando o surgimento de assimetrias ou limitações funcionais promovendo por diversas técnicas a estabilidade das funções respiração, mastigação, deglutição e fala”, destaca Talita Todeschini uma das Fonoaudiólogas que estará presente nas orientações.

Temas como Motricidade Orofacial (MO), Linguagem, Voz e Aleitamento Materno, também serão abordados. “Comunicar-se bem, é uma questão de saúde e o Fonoaudiólogo é o profissional que pode ajudar o cidadão a ter uma saudável comunicação ao longo da vida”, explica o presidente do Crefono3, Dr. Celso Luiz Gonçalves dos Santos Junior.