Ligeirão da Praça do Japão começa a ser implantado no final de março

Mariana Ohde


Com Metro Curitiba

O prefeito Rafael Greca (PMN) esteve nesta terça-feira (20) na Praça do Japão e conversou com moradores sobre o projeto que determina obras para que o ligeirão passe pelo local. O prefeito voltou a afirmar que a pretende levar as obras adiante, mesmo com os protestos. A implantação do ligeirão Santa Cândida/Batel deve começar no dia 28 de março.

“Os lagos, o pagode e os monumentos ficarão onde estão. A única coisa que vai acontecer é a abertura de uma antiga rua que já existia”, explicou o prefeito. “Não há trauma algum para a Praça do Japão”.

Greca ainda garantiu que a passagem dos ônibus no local será temporária – até que seja feito o desalinhamento das estações entre a praça e o terminal do Capão Raso. Quando o terminal ficar pronto, a rua deve ser novamente fechada, segundo o prefeito.

Greca visitou a praça para acertar a criação do Largo Tomie Ohtake, no jardinete que será formado pela obra.

Ao chegar, no entanto, ele foi cercado por moradores em protesto. No encontro ocorreu, inclusive, uma discussão entre moradores com um engenheiro do Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

Foto: Daniel Castellano / SMCS
Foto: Daniel Castellano / SMCS

O coordenador da Comissão SOS Praça do Japão, Acef Said, reclama da postura da prefeitura, que, até agora, nem ao menos apresentou o desenho do projeto. “Há falta de diálogo e de transparência, nos comunicaram pela imprensa que as obras iriam começar”, diz.

Segundo o Ippuc, a única mudança seria no lado em ‘V’ na praça, que será cortada para a passagem do coletivo, formando o jardinete. Os ônibus, que hoje não circulam por todo o perímetro, também passarão a circular, mas a até 30km/h e vazios. Por fim, as vagas de estacionamento perdidas seriam relocadas.

A prefeitura diz ainda que audiências públicas ocorreram em 2012 e que sem o contorno as obras de desalinhamento do tubos, (que custaram R$ 14 milhões) ficaram inutilizadas.

A previsão é de que o ligeirão atenda cerca de 36 mil pessoas por dia. A expectativa é que 40% dos usuários da linha que sai do Santa Cândida e vai até o Capão Raso utilizem os 25 novos ônibus biarticulados.

O projeto promete reduzir o tempo da viagem de 40 para 20 minutos.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="485139" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]