Qualidade dos rios da grande Curitiba está regular, mostra estudo

Mariana Ohde e BandNews FM Curitiba

Na grande Curitiba, foram avaliadas amostras de sete rios. A maioria foi classificada como regular ou ruim.

Os rios da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) contam com apenas um ponto de monitoramento com Índice de Qualidade da Água (IQA) considerado bom. Outros nove pontos monitorados pela Fundação SOS Mata Atlântica foram considerados com qualidade regular e um com qualidade ruim.

O único ponto onde a qualidade da água foi considerada boa é do Rio Itaqui, em São José dos Pinhais.

Os números fazem parte do relatório “Observando os Rios 2018 – O retrato da qualidade da água nas bacias da Mata Atlântica”, divulgado nesta semana. A fundação monitorou pontos de rios em todo o Brasil, entre março de 2017 e fevereiro de 2018. As amostras foram analisadas mensalmente.

Na grande Curitiba, foram avaliadas amostras de 7 rios: Iguaçu, Belém, Barigui, Cambuí, Ganchinho, Bacacheri, Itaqui e o Córrego das Pedras. Os pontos de onde as amostras foram retiradas ficam em Almirante Tamandaré, Campo Largo, Piraquara, São José dos Pinhais e Curitiba.

A análise classifica os rios em uma escala que varia entre qualidade péssima e ótima. A metodologia usada considerou questões físicas, químicas e biológicas na água, utilizando 16 parâmetros de avaliação, como temperatura da água e do ambiente, turbidez, espumas, lixo flutuante, odor, material sedimentável, peixes, larvas e vermes, entre outros.

Em todo o Brasil, foi avaliada a qualidade da água de 230 rios, córregos e lagos do bioma. A pesquisa mostrou que apenas 4,1% dos 294 pontos de coleta avaliados têm qualidade de água boa, enquanto 75,5% estão em situação regular e 20,4% com qualidade ruim ou péssima. Isso significa que em 96% dos pontos monitorados a qualidade da água não é boa e está longe do que a sociedade quer para os rios. Nenhum dos pontos analisados foi avaliado como ótimo.

O relatório foi apresentado na semana em que o Brasil sedia o Fórum Mundial da Água, em Brasília. A programação começou no domingo (18) e segue até sexta-feira (23). Esta é a oitava edição do Fórum, que ocorre a cada três anos em um país diferente. A primeira edição foi em 1997, no Marrocos.

O encontro deste ano traz o tema “Compartilhando Água”, com a intenção de estabelecer compromissos políticos e incentivar o uso racional, a conservação, a proteção, o planejamento e a gestão da água em todos os setores da sociedade.

Neste ano, representantes de 175 países, entre cientistas, governantes, parlamentares, juízes, pesquisadores e demais cidadãos estão reunidos no Fórum.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="511235" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]