Com a volta do guincho, donos retiram carros abandonados das ruas

Metro Jornal Curitiba

Desde que a prefeitura anunciou que seriam guinchados, 200 carros abandonados foram retirados das ruas voluntariamente pelos proprietários.

Em março, a prefeitura anunciou que começaria a recolher carros, motos e caminhões que tinham sido abandonados nas ruas de Curitiba e que ainda multaria os proprietários. Desde então, o serviço de guincho contratado pela Setran (Superintendência de Trânsito) retirou 30 carros esquecidos pela cidade.

O número mais expressivo, no entanto, é o de remoções espontâneas: foram 200, segundo a prefeitura. Pela legislação municipal, de 2011, um veículo é considerado abandonado quando estiver estacionado em um logradouro público por mais de 30 dias, em mau estado de conservação, apresentando sinais de ferrugem ou colisão ou for alvo de vandalismo ou depreciação voluntária.

A mesma lei autoriza o município a notificar o proprietário para que o recolha em, no máximo, 10 dias e, após esse prazo, ele pode ser guinchado, liberação condicionada ao pagamento de taxas. O tempo de abandono do veículo passa a ser contado a partir da denúncia, que pode ser feita por qualquer cidadão, via Central 156.

“Com receio do pagamento da multa, os donos destes carros estão se antecipando ao reboque e, como frisa o prefeito Rafael Greca, ajudando a Prefeitura a devolver a cidade aos seus moradores”, afirma o secretário municipal da Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel.

Em caso de guinchamento, além dos valores correspondentes ao reboque e armazenamento do carro, o proprietário também precisa quitar quaisquer dívidas referentes a ele, como IPVA, licenciamento atrasado e eventuais multas de trânsito.

Incômodo

Seja por iniciativa da Setran ou dos donos, a vizinhança comemora a limpeza das ruas. A massoterapeuta Mara Massola conviveu por mais de um ano com um Volkswagen Santana Quantum deixado a alguns metros da clínica onde trabalha, no bairro Portão. Com marcas de batida, sujo e invariavelmente estacionado ao lado da calçada, ela acreditava que o carro fosse roubado e tivesse sido descartado por ali.

“Mas era de um vizinho, que finalmente levou o carro daqui”, conta Mara, que apoia a iniciativa da Prefeitura. “Se não sai por bem, tem mais é que guinchar. Além de dar um aspecto ruim para a rua, ainda tirava a vaga de quem precisa estacionar”.

No mesmo período, também foram guinchados 113 veículos estacionados irregularmente – por exemplo, em vagas destinadas a idosos. De acordo com a Setran, quando as ações começaram, um mês atrás, havia aproximadamente 1,3 mil veículos largados pelas ruas da capital. A maior concentração por bairros era na CIC (14%), seguido do Cajuru (8%), Boqueirão (6%) e Tatuquara (6%).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="517103" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]