Incêndio de grandes proporções atinge clube no Água Verde

Mariana Ohde


Com Narley Resende

Um incêndio de grandes proporções atingiu o prédio da Sociedade Água Verde, em Curitiba, na manhã desta terça-feira (7). O Corpo de Bombeiros atendeu a ocorrência às 6h e as chamas só foram controladas uma hora depois. Três caminhões, uma carreta e duas viaturas foram acionados.

A causa das chamas ainda não foi apurada. A principal suspeita é de que o incêndio tenha sido causado por um curto circuito ou algum aparelho que possa ter ficado ligado após um evento que aconteceu no clube.

O imóvel fica na Avenida Iguaçu, próximo à esquina com a Avenida República Argentina. Não há informações sobre vítimas ou pessoas que eventualmente estivessem no imóvel quando o fogo começou.

O prédio tem fachada de alvenaria, mas a parte de trás é de madeira, o que fez com que o fogo se espalhasse rapidamente. A fumaça pode ser vista de vários bairros de Curitiba. “Quando a gente chegou aqui, um dos salões do clube já estava tomado pela fumaça. A propagação do incêndio foi muito rápida”, conta o capitão Mikeil Petrus.

“Quando chegamos, era um incêndio avançado. Material de madeira, propagou muito rápido. Mas acredito que a gente conseguiu salvar grande parte do clube e das edificações ao lado”. O capitão conta que um dos principais salões foi totalmente destruído, com cerca de 200 metros quadrados. A temperatura também danificou forro, piso e outras estruturas que não tiveram contato com o fogo. O salão atingido é o Salão Gauchesco, além de uma cozinha e uma área de alimentação.

“Por volta das 6h, nós ouvimos a sirene dos Bombeiros”, conta João Rocha, morador do prédio vizinho. “Deu para perceber um cheio de fumaça intenso e as labaredas, que eram enormes”.

“Nós saímos do prédio, tiramos os veículos das garagens e estamos aguardando que os Bombeiros tomem as providências”.

A Avenida Iguaçu foi bloqueada na região e o trânsito segue complicado. Agentes da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) estão no local. Há bloqueios entre as ruas Sain’t Hillaire e República Argentina e outros devem ser providenciados

O imóvel interno da Sociedade Água Verde, que era a residência da família Molleta, tem mais de 120 anos. O clube foi fundado em 1905. Nos últimos anos, a Sociedade Água Verde passou por diversas reformas. A mais recente foi a construção de um forró de aço nos salões principal e gauchesco. O segundo ficou completamente destruído.

Almir José Scremin, presidente da Sociedade Água Verde, foi chamado para o local nesta manhã e garante que o clube atendia todas as normas de segurança.

“Na semana passada, esteve aqui o pessoal dos Bombeiros, fizeram o teste, nós temos um hidrante aqui, com a pressão perfeita. Já estamos com laudo liberado, tudo liberado, tinha toda segurança, toda sinalização, extintores. Toda segurança necessária para se tocar um clube nós tínhamos aqui dentro, isso nós podemos afirmar com toda certeza”.

“Temos uma caixa da água, de 20 mil litros, que foi usada totalmente. Agora está sendo enchida novamente para podermos fazer o rescaldo”, conta. “Agora é começar tudo do zero, outra vez”, lamenta. A parte administrativa não foi atingida, o que preservou a história do clube. O salão principal também poderá ser recuperado, segundo o presidente. “O seguro não cobre tudo isso, mas, pelo menos, dá para a gente começar a nova vida no clube”.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal